Publicado em Idade dos Porquês, OUTROS, Texto

Vulnerabilidade

vul·ne·ra·bi·li·da·de 

substantivo feminino

Qualidade de vulnerável.

 

Palavras relacionadas: sujeito

in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/Vulnerabilidade .

Continue reading “Vulnerabilidade”

Anúncios
Publicado em Crónica de Um dia

Os rapazes mais giros…

Os rapazes mais giros são os da minha aldeia!

Como aposto que em tempos idos, na agenda do Manuel, não falhava um bailarico à porta do fim-de-semana. E o José? O José juntava-se com o António à porta da escola a mirar aquela cachopa enquanto reunia coragem para a convidar para ir dar uma volta na sua Famel. O Ricardo esse pelava-se por uma boa noite de cartas e cerveja com o pessoal.

Não sentiram o tempo passar e hoje não percebem como ontem era dia de baile e hoje pode ser um dia sem amanhã. Tentam não pensar nisso. Já foram imortais! Já sentiram a vida toda pela frente!

Hoje sentam-se à porta da igreja no final do dia, a ver a “banda passar”, ora alegres, sorridentes, ora mais sérios, questionando o porquê do mundo, a última desgraça no correio da manhã ou o estado do Sporting.

Os rapazes da minha aldeia são os mais giros! São profunda e sinceramente uma imagem memorável de histórias de décadas. São o sorriso que via no rosto do meu avô. São o resultado de gerações apuradíssimas de “alentejanos sem travões” a viver por estas bandas.

Já vos disse que os rapazes mais giros são os da minha aldeia? E já vos disse que se sentam à porta da igreja a ver quem passa, com um sorriso escondido para a troca?

 

Aos “rapazes” de Boliqueime, Paderne e da Mexilhoeira Grande. Os mais giros.

Publicado em A Gata Preta, Crónica de Um dia, Opinião, OUTROS

Uma geração que se esqueceu de parar

A evolução do ser humano deu-se ao longo da história sem grandes disparidades para os géneros (ahahahaha, piadinha).

A posição da mulher como cuidadora da família e o trabalho do homem como provedor do sustento do lar, formam postos quase históricos… “Só que não!”

Nas últimas décadas assistimos a uma alteração na atitude feminina que foi “parcialmente” acompanhada pelo sexo oposto… parcialmente digo porque da mesma forma que assisto ao aumento de mulheres a frequentar a universidade e a desempenhar cargos de carreira, assisto também ao aumento de situações de ruptura – psicológica, stress, familiar, laboral.

Nínguém aguenta. Nós mudamos!

Em geral o homem continua a ser encarado como “um ajudante”, alguém que se “esforça” para estar lá e desempenhar papeis que outrora seriam exclusivamente femininos.

E o pior é que nós exaltamos as qualidades de um homem que é Pai, trata do seu lar, compra o fornecimento semanal de alimentos para casa, como se isso fosse algo de extraordinário!

Exemplo prático, se o meu marido decidir cozinhar, tratar da roupa ou levar a miúda ao parque, tem todo o meu incentivo! “Vai amor, força nisso!”

A questão não são só eles que gostam de chegar a casa e sentar no sofá, tomar um banho demorado ou sair com os amigos! Nós também, e ninguém os avisou! Ninguém os avisou que queremos construir carreiras, ter filhos, viver em casas limpas e mudar o mundo! Ninguém os programou para isso porque as nossas mães faziam tudo antes sequer dos meninos terem tempo para colocar as meias no cesto da roupa!

A técnologia avançou, as mulheres seguiram um rumo e os homens, por total ausência da necessidade evolutiva, não perceberam que nós já não estamos na cozinha… a mulher saiu de casa e vai governar o mundo, se não hoje, amanhã, mas isso vai acontecer… porque nós somos as geração que se esqueceu de parar.

Pagamos elevado preço por isso mesmo. Pagamos com tudo aquilo que era exclusivamente nosso, pagamos com rótulos e insultos, pagamos com olhares de desdém e acusações de “má mãe”, “ambiciosa”, “egoista”…

Isto tudo para nos obrigar a andar só porque descobriram que não queremos deixar de correr, parece injusto, não parece?

Darwin explica. 😉

Publicado em As Causas, Opinião, OUTROS, Quase científico, Texto

O que é “o” Algoritmo?

Adam do facebook explica como funciona uma parte significativa da nossa navegação na rede social.

Algoritmo é uma formula, um código usado para fazer aquilo que se faria por exemplo numa triagem da informação. Por isso é que é tão dificil para os gestores de redes sociais acompanhar esta realidade (tendo em conta que diferentes redes, com diferentes algoritmos estão cada vez mais a condicionar o acesso de páginas aos consumidores, confiando que mais cedo ou mais tarde todos iremos ceder e pagar para anunciar o nosso serviço.)

A seguir, e a seu tempo falaremos do nonio e das cookies… Porque é que nada é apenas benefício, tal como se apreaenta neste momento?

Be smart antes da bolha fechar.