X, Y, Z – Quem são estas pessoas?

Apesar de ter estudado comunicação, deparo-me com uma necessidade quase constante de perceber na perspectiva da psicologia a barreira comunicativa entre os baby boomers, a geração X (com a qual tenho um contacto familiar limitado e laboral ainda mais restrito), Y (da qual faço parte) e Z, onde se encaixam os mais novos.

Seja como for a tecnologia, a pressão económica e os factores de tensão social acabaram por moldar as nossas perspectivas do mundo laboral de forma bastante distinta. Se para uma geração o ideal é largar tudo se não se sentirem felizes, para a outra a primazia está na segurança.

A link seguinte que vos deixo, tem uma explicação sobre cada uma das classificações e sobre o impacto de cada uma na nossa sociedade. Espero que vos seja benéfico ou pelo menos que vos ajude a perceber a perspectiva de terceiros. Não queiras ir para “a ilha” quando a ilha é tudo o que nos rodeia. (Filosofia barata… 😉 )

Conflitos entre as gerações X, Y e Z.

Anúncios

Pessoa e Sobral… que os homens também sentem.

Presságio

O AMOR, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p’ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente…
Cala: parece esquecer…

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
P’ra saber que a estão a amar!

 Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar…

  • Diz a rede que é de 1928, de Fernando Pessoa…

 

 

O SOBRALINHO GANHOU!?

“Somaram os pontos de todas as edições anteriores?” – Questiona Ricardo Carvalho…

Eu acho que é a primeira vez que sigo uma final da eurovisão… não sei se ei-de rir ou chorar mas passei a semanas a ouvir isto ainda antes de saber que ia à eurovisão.

Como é possível! GANHAMOS A EUROVISÃO, a seguir a ter ganho o europeu!

MANOS SOBRAL! OBRIGADA!!!

ABERTO CURSO CED – FARO

DIVULGAÇÃO: FORMAÇÕES

“FORMAÇÃO TEÓRICO-PRÁTICA – MÉTODO CED (CAPTURAR-ESTERILIZAR-DEVOLVER) EM COLÓNIAS DE GATOS SILVESTRES | FARO

No próximo dia 12 de Março (Domingo), entre as 10 e as 18 horas, a Animais de Rua, em parceria com a Change For Animals Foundation, vai promover uma nova formação sobre o método CED (Capturar-Esterilizar-Devolver), o único método verdadeiramente eficaz e humano de controlo da população felina silvestre.

A formação terá lugar em Faro e será composta por um módulo teórico, durante o qual serão pormenorizadas as diversas etapas do programa CED incluindo a utilização dos materiais de captura, e um módulo prático onde os formandos poderão aplicar os conhecimentos adquiridos numa captura a decorrer numa colónia sinalizada pela Animais de Rua.

As inscrições devem ser feitas até ao dia 9 de Março através do e-mail dora.algarvio@animaisderua.org e têm o valor simbólico de 5€. A transferência deve ser efectuada para o IBAN PT50 0065 0921 0020 1240009 31 e o respectivo comprovativo enviado para o e-mail faro@animaisderua.org.

No final da formação será entregue um Certificado de Formação Profissional, emitido na plataforma SIGO, nos termos da Portaria 474/2010 de 8 de julho. A emissão deste certificado credita as competências adquiridas na Caderneta Individual de Competências (CIC).
Contamos com a sua presença e o seu apoio na construção de uma sociedade mais consciente!”

ced-animais-de-rua

Cães e gatos vivem mais…

Cães e gatos vivem mais dois anos do que há uma década, dia o artigo de 17 de Fevereiro de 2017, do Observador.
Os cães e gatos que recebem os devidos cuidados vivem mais dois anos do que há uma década, segundo a perceção de Luís Montenegro, diretor clínico do Hospital Veterinário Montenegro.

Está tudo relacionado com os cuidados que temos com os nossos animais, relacionados com saúde e bem-estar. Visitas mais frequentes ao veterinário, melhor alimentação, maiores cuidados no sentido de evitar que estes se exponham a perigos desnecessários. Pode saber mais aqui, no artigo original

Ele há dias...

Do que gostaste mais…

“what did you like the most”

Gatos, pretos, de longos bigodes, pensei eu instintivamente.

No outro dia via pela enezima vez o filme “Cidade dos Anjos” mas perdi-me logo no início, quando a menina fala com Seth e diz que a coisa que gostou mais no mundo foram “os pijamas, com pés”.

Fora as respostas óbvias de amar a minha família mais que tudo, a minha filha, o meu companheiro, o chato do meu irmão ou as particularidades da minha mãe… sem contar com eles, pensei… se existir realmente um grupo de anjos… que resposta vou dar no meu último dia…

 

Gostei muito de pessoas, algumas pessoas, aquelas que me surpreenderam com coisas inesperadas e com corações onde cabe sempre um pouco mais. Gosto de pessoas. Daquelas que têm histórias e que mesmo na contrariedade conseguem sorrir. Gosto. Principalmente de quem vive e não se queixa muito, porque lutas todos nós travamos… mas não é a minha primeira opção.

A minha primeira opção é óbvia para quem me conhece… o que mais gostei e mais me fascinou até agora, foram os gatos. Nasci numa casa de cães, muitos, para dizer a verdade dezenas de cães, pequenos, grandes, de rabo curto ou comprido… adoro cães. Tive alguns grandes companheiros que me ajudaram a ser quem sou hoje… a ser mais feliz e a amar os animais.  Mas ainda em miúda descobri os gatos, a sua ligeireza, a sua capacidade de nos ganhar o coração e o olhar, que é das coisas que mais me espanta num gato… podemos olhar para eles durante horas e são fascinantes em todos os aspectos.

gato-2
Gatos e cães IGUAIS!? 

Os gatos e os cães são tão diferentes como iguais. Fisicamente, num olhar menos cuidadoso podemos confundi-los, mas  a força dos cães e a capacidade de trepar dos gatos são características que começam logo por criar aquele entroncamento que os divide em espécies diferentes. Os cães são dedicados, leais, companheiros na sua generalidade. Costumo dizer que se querem ter uma vida activa, arranjem um cão, se querem um companheiro de sofá, arranjem um gato. Obviamente esta é uma frase muito generalista para ambas as espécies e até um tanto injusta… mas isso são outros quinhentos.

Deve ter sido provavelmente por causa do Luna, o gato da Sailor Moon, um dos desenhos animados que via em miúda, que fiquei tão curiosa em relação a gatos. Principalmente a gatos pretos, brancos e cinza… mais tarde descobri os siameses, as tartaruga, os tigrados europeu comum e mais uma série de belezas maravilhosas. Bolas, não existem gatos feios… eles são todos fascinantes!

sailor-moon

Em todo o meu tempo de vida, se tiver de escolher algo (sempre a seguir à minha família), o que eu gostei mais foi de gatos. Gatos pretos, gatos brancos, pequenos, grandes, são místicos, mágicos e excelentes companheiros. Merecem o nosso respeito e merecem dignidade. Existem relatos de gatos que vivem quase 30 anos, sendo que aos 8 anos de vida um gato é considerado sénior, um sexagenário, imaginem quantos anos vive um gato com 20 anos! São verdadeiramente especiais.

O Elefante na sala

Um certo dia chegas a casa e tens lá alguém.

Conversas com essa “pessoa” e ela diz que só vai ficar uns momentos.

Os teus amigos dizem para ter paciência e calma. Tu pensas que realmente eles devem ter razão.

A “pessoa” vai embora. Assunto resolvido.

Semanas depois a situação repete-se. Sempre por breves momentos. Aprendes a aceitar. Afinal a vida é assim, as vezes mais vale relaxar e levar.

Com o passar do tempo essa “pessoa” começa a ficar mais tempo. Há dias em que quer conversar e apesar das conversas serem um pouco repetitivas, por vezes fica até amanhecer a falar do mesmo assunto.  E tu pensas… como é que eu vou sair amanhã para a escola, trabalho, estágio… mas não fazes nada porque correr com essa “pessoa” era maluquice. Vamos ser normais e ter calma. Já nem falas disso aos teus amigos. Não os queres saturar e compensas em casa nas folgas. Tentas por o sono em dia.

Passam meses…

O trabalho é cansativo, pensas em mudar de trabalho. Mais cedo ou mais tarde consegues, mas pouca-sorte, não foi tão bom como esperavas. Pelo contrário, foi ainda mais desgastante. Chegas a casa e lá está “ela”. Fala e fala e fala e tu tens de resolver o bolo de problemas mas não sabes como. Tens uma casa para cuidar, tens uma família que precisa da tua atenção, mas esta “amiga” está sempre contigo.

Agora acorda contigo, vai contigo para o trabalho e sem grande decoro fala alto, toca bateria e chama toda uma equipa de amigos para a ajudar. Podia ser divertido se fosse dia de festa, mas não é. Queres trabalhar e o barulho é imenso. Não consegues manter o fóco e quando chegas a casa estás com a energia abaixo de zero…

Existe uma amiga chamada depressão e Portugal é o segundo país no mundo com maior taxa de depressivos, só ultrapassado pelos estados unidos. Isto deve-se muitas vezes à falta de acesso a cuidados básicos da doença, assim como a um tratamento sério que encare a depressão como uma doença do cérebro.

Sabia que na maioria das pessoas o primeiro sintoma que surge é físico? Sabia que quase sempre o suicídio está contextualizado em episódios de depressão? Sabia que a DEPRESSÂO TÊM CURA?

É possível ser feliz e é possível voltar a ter energia, a trabalhar com um sorriso, a ter paciência, alegria, a viver bem! Se sente que um familiar ou amigo pode não estar bem, se você próprio se sente “diferente” e não percebe porquê, procure ajuda. A depressão não é um bicho, mas precisa de ser tratado (e existem várias formas de tratamento).  Não tenha medo de procurar o seu médico de família, de falar com um psiquiatra, com um psicologo, de iniciar um plano de exercício físico, de fazer meditação.. o que resultar é válido! Seja feliz! Fique atento!

Vamos combater o Elefante (ou o cão) na sala?

O Dr. Olegário tem aqui um par de palavras que é muito feliz e que explica a depressão. 🙂