Publicado em OUTROS

Dia 11/365 – Ouverture, Love Me If You Dare/Jeux d’enfants

“Love me if you dare” ou “Jeux d’enfants” é a história de dois meninos que cresceram com um jogo muito particular… não posso dizer muito para não ser spoiler.

A Música chama-se Ouverture (opening), de Philippe Rombi.

 

Anúncios
Publicado em OUTROS, Música

Dia 06/365 – The Orange Tree, The Illusionist

O Ilusionista” foi também uma revelação. Oficialmente nos cinemas a 2006, conta uma história de amor proibido entre Eisenheim e Sophie, que como seria de esperar tem os seus momentos de profundidade e perigo. Espero que gostem e deixo-vos com uma citação do filme:

Eisenheim: From the moment we enter this life we are in the flow of it. We measure it and we mark it, but we cannot defy it. We cannot even speed it up or slow it down. Or can we? Have we not each experienced the sensation that a beautiful moment seemed to pass to quickly, and wished that we could make it linger? Or felt time slow on a dull day, and wished that we could speed things up a bit? 

Publicado em Documentário/Filme, Música

The Fools Who Dream

Esta é um brinde a nós que ainda sonhamos, “The fools who dream”…A letra podem ver no vídeo ou ali abaixo escrita em bloco. (By the way, pequeno detalhe, esta pérola de música foi indicada para Óscar de melhor música original…)

Letra em tradução literal para Português:

A minha Tia costumava viver em Paris, eu lembro, ela costumava chegar a casa e contar-nos histórias sobre a vida lá fora. E eu recordo que ela contou-nos que saltou uma vez para um rio, descalça.

Ela sorriu

Saltou, sem olhar / E caiu no Sena/ A água era gelada/ Ela passou um mês a espirrar/ Mas diz que faria tudo de novo

Esta é para os que sonham/ Por mais tolos que pareçam/ Esta é para os corações que ardem/ Esta é para o estrago que fazemos

Ela apanhou um sentimento/ Céu sem tecto/ Pôr do sol dentro de uma moldura

Ela vivia na bebida/ E morreu num sopro / Eu vou sempre lembrar a chama

Esta é para os que sonham/ Por mais tolos que pareçam/ Esta é para os corações que ardem/ Esta é para o estrago que fazemos

Ela disse-me / “Um pouco de loucura é chave / Para dar-nos novas cores a ver/ Quem sabe onde nos levará? / E é por isso que eles precisam de nós”

Então tragam rebeldes / ondulação dos seixos / Os Pintores, e poetas e peças

E esta é para os tolos que sonham/ Por mais tolos que pareçam/ Esta é para os corações que se quebram/ Esta é para o estrago que fazemos

Eu volto atrás até lá / Ela, e a neve, e o Sena / Sorrindo por isso / Ela disse que o faria de novo.

Lyrics English (Original):

My aunt used to live in Paris
I remember, she used to come home and tell us these stories about being abroad
And I remember she told us that she jumped into the river once, barefoot

She smiled

Leapt, without looking / And tumbled into the Seine / The water was freezing / She spent a month sneezing / But said she would do it again

Here’s to the ones who dream / Foolish as they may seem /Here’s to the hearts that ache / Here’s to the mess we make

She captured a feeling/ Sky with no ceiling / The sunset inside a frame

She lived in her liquor / And died with a flicker / I’ll always remember the flame

Here’s to the ones who dream/ Foolish as they may seem /Here’s to the hearts that ache /Here’s to the mess we make

She told me
“A bit of madness is key / To give us new colors to see /Who knows where it will lead us? /And that’s why they need us”

So bring on the rebels / The ripples from pebbles / The painters, and poets, and plays

And here’s to the fools who dream /Crazy as they may seem /Here’s to the hearts that break 7Here’s to the mess we make

I trace it all back to then / Her, and the snow, and the Seine /Smiling through it /She said she’d do it again

Escrita por Justin Hurwitz, Benj Pasek, Justin Noble Paul • Copyright © Warner/Chappell Music, Inc