O Elefante na sala

Um certo dia chegas a casa e tens lá alguém.

Conversas com essa “pessoa” e ela diz que só vai ficar uns momentos.

Os teus amigos dizem para ter paciência e calma. Tu pensas que realmente eles devem ter razão.

A “pessoa” vai embora. Assunto resolvido.

Semanas depois a situação repete-se. Sempre por breves momentos. Aprendes a aceitar. Afinal a vida é assim, as vezes mais vale relaxar e levar.

Com o passar do tempo essa “pessoa” começa a ficar mais tempo. Há dias em que quer conversar e apesar das conversas serem um pouco repetitivas, por vezes fica até amanhecer a falar do mesmo assunto.  E tu pensas… como é que eu vou sair amanhã para a escola, trabalho, estágio… mas não fazes nada porque correr com essa “pessoa” era maluquice. Vamos ser normais e ter calma. Já nem falas disso aos teus amigos. Não os queres saturar e compensas em casa nas folgas. Tentas por o sono em dia.

Passam meses…

O trabalho é cansativo, pensas em mudar de trabalho. Mais cedo ou mais tarde consegues, mas pouca-sorte, não foi tão bom como esperavas. Pelo contrário, foi ainda mais desgastante. Chegas a casa e lá está “ela”. Fala e fala e fala e tu tens de resolver o bolo de problemas mas não sabes como. Tens uma casa para cuidar, tens uma família que precisa da tua atenção, mas esta “amiga” está sempre contigo.

Agora acorda contigo, vai contigo para o trabalho e sem grande decoro fala alto, toca bateria e chama toda uma equipa de amigos para a ajudar. Podia ser divertido se fosse dia de festa, mas não é. Queres trabalhar e o barulho é imenso. Não consegues manter o fóco e quando chegas a casa estás com a energia abaixo de zero…

Existe uma amiga chamada depressão e Portugal é o segundo país no mundo com maior taxa de depressivos, só ultrapassado pelos estados unidos. Isto deve-se muitas vezes à falta de acesso a cuidados básicos da doença, assim como a um tratamento sério que encare a depressão como uma doença do cérebro.

Sabia que na maioria das pessoas o primeiro sintoma que surge é físico? Sabia que quase sempre o suicídio está contextualizado em episódios de depressão? Sabia que a DEPRESSÂO TÊM CURA?

É possível ser feliz e é possível voltar a ter energia, a trabalhar com um sorriso, a ter paciência, alegria, a viver bem! Se sente que um familiar ou amigo pode não estar bem, se você próprio se sente “diferente” e não percebe porquê, procure ajuda. A depressão não é um bicho, mas precisa de ser tratado (e existem várias formas de tratamento).  Não tenha medo de procurar o seu médico de família, de falar com um psiquiatra, com um psicologo, de iniciar um plano de exercício físico, de fazer meditação.. o que resultar é válido! Seja feliz! Fique atento!

Vamos combater o Elefante (ou o cão) na sala?

O Dr. Olegário tem aqui um par de palavras que é muito feliz e que explica a depressão. 🙂

OS CÃES DO IPL

E diz que circula esta mensagem:

Instituto Politécnico de Lisboa chama canil para capturar cães que vivem há anos no campus

A direcção do IPL chamou o canil de Lisboa para capturar 5 cães ( 4 machos e uma fêmea ) que vivem há anos no campus do Instituto.
Trata-se de uma decisão de extrema violência uma vez que o canil de Lisboa foi alvo de uma providência cautelar por não oferecer aos animais detidos condições conforme à lei.
Embora o canil possa capturar animais em certas circunstâncias  ( ver alinea p) da sentença do Tribunal administrativo de Circulo de Lisboa em  http://www.campanha-esterilizacao.com/documentos/Sentenca.pdf   ) não se percebe como só depois de anos de existência dos animais no local a direcção chegou à conclusão que os mesmos põem em perigo a ” saúde, higiene, salubridade e segurança públicas”.
Um dos cães já foi capturado pois o canil instalou uma jaula de captura no campus  com comida para atrair os animais que apesar do protesto dos alunos ali continua.
É de facto um espectáculo bárbaro, pouco habitual em estabelecimentos de ensino, pois a maioria  legaliza a situação dos animais , procedendo à sua esterilização e vacinação, indo ao encontro da resolução da AR nº 69 /2011 que refere o “conceito de cão comunitário, como um animal que é cuidado num espaço ou numa via pública limitada cuja guarda, alimentaçaõ e cuidados médico- veterinários são assegurados por uma parte da comunidade local de moradores”. Ver  o cartaz ” Este animal é nosso” em http://www.campanha-esterilizacao.com/fotos/CãoComunitário.jpeg

Era este o exemplo de cidadania responsável que a direcção do IPL devia transmitir aos alunos que aí estão em formação e não a barbárie de capturar os animais com uma jaula onde ficam a debater-se em pânico, para os enviar para o canil de Lisboa onde serão certamente  abatidos.
Se a escola cancelar  a captura dos animais e garantir a sua permanência  no campus, o Grupo de Lisboa disponibiliza-se  para assegurar a sua esterilização e vacinação.”

Informação retirada daqui  e partilhada pela ANIMAL

E o que acham vocês disto?

Latidos, lambidelas e os outros…


ADOPTAR

Ainda há uns dias falava com uma colega de trabalho sobre o respeito que tenho àquelas pessoas que não têm animais porque sabem que os bichos precisam de atenção, alimentação, cuidados e carinho.

Quem gosta de animais e tem condições para os adoptar deve manter presente a responsabilidade que é ser o “tutor” de mais uma vida. Deixamos de ter o direito de sair de casa durante dias sem qualquer preocupação, deixamos de poder dormir até meio da tarde e comer qualquer porcaria que apareça no frigorífico, porque para além de nós, existe mais um animal que precisa de cuidados e não pode ser descartado.

Ah… mas nada paga a festa que eles fazem ao chegar a casa, os miados traquinhas, as corridas, as surpresas no roupeiro, os latidos, as lambidelas…

 

SER ACTIVISTA

O activista dos direitos dos animais informa-se, zela pela saúde e bem-estar dos mesmos e da comunidade. O Activista procura no dia-a-dia ter uma atitude consistente com os seus valores, e entre outros, não usa produtos que possam ter provocado dor ou sofrimento em animais (e a lista é vasta).

Não é por soltar um animal, não é por resgatar 2, 3, 4, 90 animais de um canil que vamos ser mais activistas. Se os animais não ficam em segurança, protegidos, ao cuidado de alguém RESPONSÁVEL, continuarão a correr riscos de contrair doenças, de sofrer, de mais cedo ou mais tarde voltar para uma cela fria.

Um cão na rua é um cão condenado a uma vida miserável. Pode ser atropelado, adoecer, ser mal tratado por transeuntes, magoar-se quando procura comida no lixo e nessas situações, são poucas as pessoas que se movem para o ajudar…

 

SER VOLUNTÁRIO

O voluntário compromete-se a ter um trabalho ao qual irá comparecer. O voluntariado abdica de vontade própria “de tardes no café, saidas com os amigos e outras festarolas, por comprometimento com a causa que defende. Ser voluntário é sempre uma atitude de enriquecimento pessoal e no meu caso, ajuda-me a ficar de consciência mais tranquila. Dei o que tinha e um pouquinho mais para os fazer felizes.

 

SER FAT (Família de Acolhimento Temporário)

É de longe das tarefas mais dificeis que existem. Ajudamos um e logo a seguir queremos ajudar outro e outro e mais um, e sabemos que em casa só cabe esse primeiro… pelo menos até encontrar um lar definitivo. A FAT acarinha, alimenta e tenta dar ao pequeno a casa que muitas vezes nunca teve. É um trabalho fantástico, muito bonito, e só lamento não o ter começado a fazer antes. É um TRABALHO, com letras grandes. Tira-nos horas de sono, obriga-nos a uma atenção constante porque nem todos os animais são iguais. No final, aquele miado vale tudo. No final, sabemos que vai abandonar-nos e temos toda a responsabilidade em assegurar que seja para melhor.

 

AS REDES SOCIAIS

E há os que divulgam, passam a palavra, apelam a novos adoptantes, tentam salvar animais… Depois há os outros…

Por mais do que uma vez assisti nas redes sociais a actividades a aglomerados de pessoas que mais não fazem do que semear a confusão ou lamentar-se e questionar realidades que não conhecem pessoalmente.

É fácil ser uma geração à rasca depois de enviar 4 cvs e continuar desempregado (eu cheguei a enviar 50 por mês). É fácil ser militante e activista e não perder a paciência a ser FAT de um cão/gato perturbado por maus tratos, por ter vivido demasiado tempo em ambiente inóspito.  É tão fácil ter um cãozinho de raça com pedigree e mais não sei o quê, que faz chichi na rua, que é educado e mimoso… o difícil é tirar carraças de um animal que foi apanhado na rua e cujos olhos desaparecem entre os bichos. É difícil agarrar e acarinhar um gato assustado depois deste nos enterrar as unhas nos braços (e de as marcas serem visíveis a olho nu uma semana depois). Difícil é limpar os olhos a um cão doente e saber que nós próprios podemos apanhar essa doença, e ainda assim ajudar o bicho… difícil é chegar a casa a cheirar a fezes. Difícil é ver questionado o trabalho de colegas que dedicam horas, dias, anos das suas vidas a ajudar quem não se pode ajudar sozinho …

As vezes o difícil é continuar a andar neste mundo de cabeça erguida enquanto uns destroem o que outros com tanto esforço e dedicação constroem. Se realmente se preocupam, se realmente querem bem, ajudem! Larguem o facebook e as redes sociais e metam a mão na massa! Existem muitos animais abandonados, muitas associações a precisar de mais um par de mãos, muita fome neste país (de animais, de pessoas e de valores)…

Bem haja a todos os que tiram os glúteos do sofá.

ASMAL – 20 anos pelo cidadão com doença mental

“A Associação de Saúde Mental do Algarve – ASMAL comemora este ano os seus 20 anos de existência. Uma maturidade visível através desta “casa” que se afirma por si só, pelo seu sucesso e comprovada qualidade.

A ASMAL nasceu em 1991 graças a boa vontade de um grupo multidisciplinar de técnicos do Centro de Saúde Mental de Faro, (o actual Departamento de Psiquiatria do Hospital Distrital de Faro) com o objectivo de promover a inserção social do cidadão com problemas de saúde mental. Nesta primeira equipa contava-se já com as presenças do actual presidente, o médico psiquiatra Alberto Mendonça Neves e da vice-presidente enfermeira Fernanda Pires, da assistente social Susel Gaspar, bem como o presidente do concelho de gerência Francisco Delfino e o enfermeiro João Pires. Estes últimos, dois dos nomes que endividaram esforços para a angariação do primeiro espaço totalmente dedicado à ASMAL. Um total de 6m² provisórios como sede, assim como o apoio da concelho de gerência do Centro de Saúde Mental que facultava aos colaboradores envolvidos, o tempo necessário à realização de actividades ligadas a este esboço daquela que viria a ser a Associação de Saúde Mental do Algarve.

Foi na Direcção Regional de Agricultura que encontraram o primeiro parceiro e apoio concreto, quer a nível de espaço, quer a nível de técnicos para as formações de jardinagem no contexto da reabilitação profissional. Curiosamente foi também aqui que encontraram aquela que é hoje a técnica mais antiga da associação, a Eng.ª Ana Carvalho.

Durante anos, muitos dos projectos para a construção e criação de melhores espaços para os clientes da associação, foram adiados devido à ausência de fundos para o efeito. Exemplo disso mesmo é o Centro de Educação, Formação e Integração Profissional do Algarve (CEFIPA) com 2.500 m² de área construída. A primeira pedra desta estrutura foi lançada no ano de 1997 e corria o ano de 2009 quando este foi inaugurado. Uma estrutura única, resultado do financiamento através da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), e do Programa PROAlgarve que suportou em 70% o custo. Os restantes 30% foram angariados através de iniciativas diversas da própria instituição, do apoio financeiro das autarquias do Algarve e do Instituto do Emprego e Formação Profissional.

A diretora técnica da ASMAL, a psicóloga Leonarda Silva, e sua equipa orgulham-se de ter atingido os exigentes critérios do “European Quality in Social Services” (EQUASS), Sistema Europeu que certificou a qualidade da ASMAL na prestação de serviços sociais. Esta associação está também oficialmente acreditada pela DGERT como Entidade Formadora, é sócia fundadora da FNERDM – Federação Nacional de Entidades de Reabilitação de Doentes Mentais e integra o Conselho Regional de Saúde Mental do Algarve.

Actualmente a ASMAL conta com um Gabinete de Avaliação e Encaminhamento, um Centro de Reabilitação Profissional, dois Fóruns Sócio-Ocupacionais (Faro e Almancil), uma Unidade de Vida Apoiada (Estrutura Residencial), um Gabinete de Apoio às Famílias, um Gabinete de Informação e Divulgação, um Gabinete de Educação e Formação de Adultos e um Centro Novas Oportunidades Inclusivo.

De referir será também o recente apoio por parte da Câmara Municipal de Faro, que através da doação de dois lotes de terreno irá permitir alcançar mais um largo passo na construção de um futuro melhor com mais duas instalações de apoio à problemática da doença mental. Previsto está o nascimento de uma Estrutura Residencial na freguesia de Santa Barbara de Nexe (Goldra), assim como a criação de raiz de uma Unidade Sócio-ocupacional na freguesia da Sé, que irá substituir o actual Fórum Sócio-ocupacional de Faro. Estas estruturas irão ser abrangidas pelo novo Decreto-Lei n.º8/2010 de 28 de Janeiro que refere a criação de um conjunto de unidades e equipas de Cuidados Continuados Integrados de Saúde Mental (CCISM) destinado às pessoas com doença mental.

Segundo a Equipa de Projecto do CCISM, a Unidade de Vida Apoiada de Almancil reuniu condições para ser incluída no grupo de Experiências Piloto CCISM, como Residência de Apoio Máximo. É neste contexto que surge o protocolo de Experiência Piloto a nível nacional, assinado durante as comemorações do Dia Mundial da Saúde Mental de 2010 entre a ASMAL e a ministra da Saúde.

Com o propósito de angariar fundos, materiais, apoios e outros, durante o ano são realizados vários eventos para recolha de fundos, livros, CDs, DVDs, VHS e todo o material que acrescente utilidade ao espólio do Centro de Recursos (Biblioteca) da instituição.

Actualmente a ASMAL tem em curso uma campanha para angariação de fundos através da consignação do IRS do contribuinte comum que queira apoiar esta IPSS doando 0,5% do valor já liquidado do seu imposto. Basta preencher no Anexo H da declaração de IRS, no campo 901 o número de identificação fiscal da Associação de Saúde Mental do Algarve (502 780 320) e assinalar com “X” o campo das IPSS, declarando assim a sua vontade de doar os seus 0,5% a favor desta instituição.”

Vera Inácio
Notícia publicada no Diarionline |quarta-feira, 09 Fevereiro 2011

Já decidiu a quem vai doar 0,5% do seu IRS?

Ajude a divulgar esta causa, porque todos os anos, ao longo do ano, estas pessoas precisam de apoio e atenção. Chega de considerar a saúde mental o “primo pobre” da saúde e virar o rosto para o outro lado. Eles estão lá, e amanhã podemos ser nós ou algum dos nossos, dos que amamos. AJUDE A AJUDAR!

Saúde para todos*

Apoio à Pessoa com Cancro

Nunca é demais relembrar que estes senhores existem, estão lá e são sensacionais a prestar apoio quando tudo parece desabar.

Saiba que existem, mesmo que nunca venha a ser necessário. Infelizmente, há sempre alguém que precisa de saber que estas pessoas, esta linha existe, e estão disponíveis.

Linha de Apoio à Pessoa com Cancro, disponível através do número 808 255 255 e do e-mail linhacancro@ligacontracancro.pt, de segunda a sexta-feira, das 09h00 às 22h00.

Mais informação em http://www.ligacontracancro.pt/ .

“take us to bruges”

Ela tem um sonho e um gato. Ao que parece ainda existe gente neste mundo que luta pelos seus sonhos com unhas e dentes. A Maria quer ir para Bruges. Com o gato, claro está! Para isso está a vender em leilão público, no seu blog, vários objectos pessoais (trocando por miúdos, literalmente o recheio da casa), entre os quais livros…

Venero quem tenha a coragem para se fazer à vida e não deixar o gato triste e só neste mundo. (Infelizmente o que não falta por aí é gente e deixar os bobis e os bichanos perdidos no mundo… mas não era disso que queria falar hoje). Iamos a falar do Gato e da Maria, ou da Maria e do Gato… acreditem que sei do que falo quando digo que viajar com um gato não é fácil. Fica o apelo à solidariedade dos meus adoraveis leitores.

Pessoal, passem por lá, pelo blog da Maria! Os livros até têm uma base de licitação obscenamente baratinha e ajudar não custa!

Força Maria! Tudo a correr bem!


Apaixonada

Amiguinhos e amiguinhas, perdi-me de amores. Os amigos e amigas da associação Animais de rua, para além dos esforços realizados para estrelizar os animais que vão amparando, reslizam algumas vendas online de artigos que são um amor de tão perfeitos e bem pensados.

Só vos digo que uma daquelas t-shirts tem de ser minha… vejam e já percebem porquê.

Os meus parabéns.

________

Nota: Fonte do MAR shopping, que é especial porque todas a  moedas que esta fonte recebe vão ser remetidas para ajudar os amiguinhos de quatro patas. 🙂 Excelente Ideia!

Reconhecer sintomas de trombose (Stroke)

000Recebi este mail e resolvi partilha-lo. Conhecimento a mais não incomoda ninguém e pessoalmente, a convivência com pessoas que foram vítimas de trombose/”inícios de”, leva-me a ficar sensível a esta realidade e a prezar para que nenhum de vós ou próximos sofra do mesmo mal.

 

 

STROKE: (trombose) Lembra-te das primeiras 3 letras…. S.T.R.

Uma amiga enfermeira enviou isto e pediu-me para espalhar a informação. Eu concordei.

Se todos podem lembrar algo tão simples como isto, poderemos salvar algumas pessoas. A Sério…

Por favor lê:

IDENTIFICAÇÃO DO STROKE:

Durante um piquenique, uma amiga tropeçou e teve uma pequena queda – ela assegurou a toda a gente que estava bem (eles ofereceram-se para chamar o INEM… Ela disse que apenas tinha tropeçado por causa dos sapatos novos.

Os amigos limparam-na e arranjaram-lhe um novo prato de comida. Enquanto ela parecia um pouco abalada, Ingrid continuou a divertir-se o resto da tarde.

O marido da Ingrid chamou mais tarde para dizer a toda a gente que a sua mulher estava no hospital – (ás  6:00 da manhã a Ingrid faleceu.) Ela sofreu um stroke durante o piquenique. Se eles tivessem sabido identificar os sinais do stroke, talvez a Ingrid ainda estivesse viva. Algumas pessoas não morrem… ficam incapacitadas e com graves sequelas.

Apenas leva 1 minuto a ler isto…

O neurologista diz que se ele conseguir chegar até uma vitima de stroke dentro de 3 horas, ele pode  reverter totalmente os efeitos do stroke… totalmente . Ele diz que o truque está em reconhecer os sinais de stroke, diagnosticar, e obter assistencia medica no prazo de 3 horas, o que não é fácil.

RECONHECER UM STROKE
Thank God pela faculdade de memorizar os “3” passos, STR.

 Lê e aprende!

As vezes os sintomas do stroke são dificeis de identificar. Infelizmente, a falta de atenção significa desastre. A vitima de stroke pode sofrer danos mentais muito graves quando as pessoas mais próximas falham em reconhecer os sintomas de um stroke .

Agora os medicos dizem que pessoa pode reconhecer um stroke perguntando 3 perguntas simples:
S * Pede ao individuo para Sorrir
T * Pede ele (a) dizer (Talk) uma frase simples e coerente(exp:Está um dia lindo)
R * APede para que levante (Raise) os dois braços.

ISe ele (a) tiver problemas a fazer alguma destas três coisas chama o 112 imediatamente e descreve os sintomas a quem atender.

Novo Sinal  de um Stroke ——– Poe a lingua de fora .

NOTA: Outro sinal de stroke é este: Pede á pessoa para por a lingua de fora… Se a língua estiver torta ou for para um lado ou para outro,  isso é indicação de stroke.

Um cardiologista disse que se toda a gente enviar este e-mail para 10 pessoas; podes apostar que pelo menos uma vida será salva.