Pessoas lá atrás

Não gosto de muitas pessoas, a verdade é essa. Não gosto em parte porque me atormenta aquele espírito do “amo o mundo, amo todagente, mas como é que se chama mesmo?”… Gosto das pessoas que gosto e elas sabem disso, as outras conheço, brinco e é isso.

Há no entanto um grupo de pessoas que vou ao longo dos anos guardando na memória e que algumas nem devem saber como me chamo, mas de quem gosto e por quem nutro um carinho especial. A professora E., directora da escola primária onde estudei é uma dessas pessoas. Não a via desde miuda e que me recorde ela também não me via faz tempo. Sempre a achei uma pessoa especial. Aquelas mulheres que sem serem espampanantes, quando entram numa sala iluminam com um sorriso discreto. Reparou e viu que era eu. Nunca me deu aulas e não se atreveu a fazer conversa, estava no meu local de trabalho, mas gostei de a ver.

Tem sido uma semana assim, com o ressurgimento de pessoas mais ou menos importantes do meu passado. Umas mais agradáveis que outras, talvez para mostrar que a sua importância relactiva (ou negativa) já nem isso é. Ficou lá atrás.

Aos meus companheiros de escalada que me acompanham ao longo desta vida. Um beijo e um café para daqui a uns dias. 😉

Anúncios

XI fESTA Cidade de Abrantes

A autora deste blog está oficialmente em contagem decrescente para mais um fESTA cidade de Abrantes.

A XI edição do festival de tunas organizado pela ESTATUNA, contará com a presença da Iscalina, Tuna d’estes, Artuna, Real Tuna Infantina e extr-concurso, grupo de Tunos de Leiria…

Dia 24 de Abril é dia de fESTA em Abrantes!

Tascaville

Plantamos vegetais virtuais, ordenhamos vacas virtuais, fazemos pratos culinários cheios de requinte, virtuais… temos pets virtuais… E muitos de nós nunca tocaram as mamas de uma vaca, fizeram uma espetada de peixe com pimentos vermelhos ou sequer sabe estrelar um ovo sem ferir a gema. Quanto aos pets…bem, aparte dos asmáticos, penso que todos sabem o que é um gato e o que são festinhas e arranhadelas de gato!? Certo?

Falo disto tudo porque as aplicações do facebook chegaram a matar, com uma funcionalidade que só posso categorizar como “de básica para o lado de lá” e que apesar de serem jogos extremamente intuitivos, são inúteis! Garanto-vos (pelo menos aos que não sabem) que uma bananeira não dá bananas nem uma oliveira dá azeitonas á mesma velocidade a que as mamócas da vaquinha se enchem de leite. E que se for ao galinheiro, certo é que não vou encontrar ovos de oferta, ou que as arvores crescem consoante o número de prendas que nelas se coloca.

A ser verdade isto tudo, já alguém teria inventado um Tascaville em que o objectivo seria algo como tentar embebedar o maior número de estudantes e velhotes. Nasciam grades no chão. Arrotar dava pontos. Peidolas e piropos ranhosos levariam o jogador a um nível bónus. Até parece que tou a imaginar o senhor António ali da tasca a roncar ao fundo do jogo, enquanto alguém grita “é uma mini” e se vê uma nuvem verde de mau cheiro a sair dos wc’s porque alguém se lembrou de lá ir “libertar o demo”.

Os níveis então, seriam um mimo. Nível 2 – serve refeições sem cabelos… nível 7 – já pode comprar cadeiras sem pregos nem farpas nos acentos… nível 10- é possivel comer sem encontrar “surpresas” no prato… e por aí até chegar ao nível em que em vez de termos uma tasca tínhamos algo como uma Kadoc ou uma Lux.

Será que é melhor registar a patente da ideia!? Hum?

História de terror

Hoje vou contar-vos uma história de terror. Estamos quase na época, por isso fica aqui uma.

Um dia destes quando estava a tomar banho, vi um aranhiço enorme… (escala de gaja)  Ora bem, sem meias medidas, dei-lhe banho e lá foi ele pelo ralo. Paz, sossego e continuei na minha vidinha.

Ao segundo dia, outro aranhiço, exactamente do mesmo tamanho. Perguntei-me se o danado tinha sobrevivido ou se tinha muitos irmãos. Resultado: Foi cano abaixo de novo.

Ao terceiro dia, repete-se a situação. Como não tava com paciência, dei-lhe com gel de banho e foi de novo pelo ralo e pensei que havia sido desta. MENTIRA!!!

Round 4 e o filh* da p*ta do aranhiço continuava imbatível na minha rica casa de banho.  Estava a pressa, a fazer a depilação com um daqueles cremes da veet que em poucos minutos derrete tudo, inclusive manchas de gordura das panelas, restos do jantar do natal passado e marcas de pneus…

Resultado: Depois de um tratamento com veet, nunca mais vi o aranhiço.

Conclusão: Meninas, usem Veet que aquilo serve para tudo. Uma casa com uma Bimby e uma embalagem de Veet, não precisa de mais nada.

Toda a Verdade sobre a Galinha Pinipom

PinipomPinipom, a mascote dos caloiros da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes foi entrevistada para o blog Gata Preta e revela em primeira mão os pormenores mais íntimos e faz revelações escabrosas sobre o seu misterioso desaparecimento.

Gata Preta – Boa noite galinha Pinipom! Desde já, agradecemos a disponibilidade para esta entrevista. Sabemos que se encontra muito fragilizada com os acontecimentos das últimas semanas. Afinal de contas, o que aconteceu?

Pinipom – Só sei que depois de um substancial jantar de papas de milho, saí para curtir a noite com os meus colegas caloiros. Capa da PlayChiken dá a luzA meio da noite, quando abraçava uma das minhas colegas, senti um valente puxão das penas e depois disso foi tudo muito confuso.

G- Confuso? Mas foi raptada? Durante quanto tempo?

P- Não sei! Não me lembro de nada! Cócórócóoo… Cócórócóoo… Cócórócóoo… Cócórócóoo… Só sei que por um lado foi doloroso, mas por outro, já estava farta de passar dias inteiros com alguém a ver se tinha ovo!

G- Cara Pinipom, nós sabemos o como pode ser constrangedor, mas dizia-se por portas e travessas que a Pinipom tinha um caso com um dos cisnes do Castelo de Abrantes.

P- (Ruborizada) Como? Quem lhe falou do Action-duck? (Choro)

G- Nós aqui no Gata Preta sabemos tudo. Então, mas confirma os boatos?

P-Não confirmo nem desminto… Cócórócóoo… Cócórócóoo… Cócórócóoo… Cócórócóoo…

G- Então a pequena cria patinho de borracha com quem passeava no jardim no outro dia?

P- Meus senhores, estamos aqui para falar do rapto e dos desgraçados que me mantiveram em cativeiro nas últimas semanas! coff…cofff… Ninguém referiu que a minha vida intima e sexual também seria tema a abordar.

G- Calma, dona Pinipom! Só queremos apurar a verdade. É ou não é esse pequeno patinho filho de um caso extraconjugal com o cisne do castelo?

P- Pronto,  admito, foi numa noite em que piniduckestava alcoolicamente desorientada, e aquele pervertido abordou-me enquanto a mulher lavava as penas no lago do lado. Cócórócóoo… Eu não sabia que ele era comprometido. Tinha um ar impecável, com umas penas brilhantes, parecia ser Cisne de boas famílias! Aquele tarado. Aproveitou-se da minha inocência!

O que se passa é o seguinte. Eu sabia que mais cedo ou mais tarde iam descobrir que tinha ovo. Fui obrigada a ausentar-me. Sei que correram boatos e montagens de mau gosto sobre a possibilidade de ter acabado os meus dias na panela ou no forno, mas eram apenas montagens.

Ausentei-me porque ninguém podia saber que o PiniDuck tinha nascido! Há coisa de 2 semanas chamaram-me para fazer a capa da PlayChiken! Esperei anos por isto! E não podia ser!

G- Quer dizer que simulou o seu rapto para poder ter o filho de uma relação extraconjugal de um cisne e depois disso, prosseguiria a sua vida normalmente como capa da PlayChiken?

P- Se põe as coisas nesse ponto…coff coff…bem, tenho de me retirar, o pequeno PiniDuck está a chorar e tenho de lhe lavar as penas e aquecer as papas de milho.

Passar bem e até um dia destes.

G- Obrigado pelo tempo disponibilizado e uma boa noite.

 

 

ps.(Aposto que o primeiro selo para este blog vai ser algo do género : ”O prémio para o post mais idiota”)

Caloiros 2009

A Praxe em Abrantes. Ficam aqui alguns momentos mais curiosos, como a praxe do autocarro, praxe do croquete e apresentação… Não fzendo de uns leitores filhos e outros enteados… Como sei que muita gente lê o blog e poucos consultam ou sabem da conta no Youtube, fica um post. Enjoy it.

Mais em http://www.youtube.com/user/veralgi

“Faz-me um blog!”

Pensei em comentar esta… isto… o que quer que seja isto http://estaspraxes.blogspot.com/ mas não me vou prestar a esse desperdício de energia. São estas as únicas palavras que tenho para aquelGato com cobra (Google Imagens)as pessoas que vieram por estes dias ao meu blog pesquisar por “Estas Praxes”.

Quanto aos envolvidos, aqueles que possam ter dúvidas ou mesmo aos autores do tal espaço, tenho todo o tempo  para uma conversa. Cara-a-cara, porque é assim que se resolvem os problemas e não a lavar roupa suja e a falar da vida de terceiros na internet.

Menos meus amigos, muito menos.

P.S. Agora que já fiz a boa acção do dia sem destilar veneno, finalmente vou dormir.

Atrair borboletas para Abrantes

Abrantes: 150 mil euros para atrair borboletas

 A Câmara Municipal de Abrantes anunciou a semana passada (ou seja, há umas boas semanas) um investimento de 150 mil euros na construção de uma rota de monitorização de biodiversidade. Segundo a vereadora do desenvolvimento económico na autarquia, Céu Albuquerque, a criação de uma Estação de Biodiversidade é ”um projecto inovador na área da valorização e protecção das espécies e dos habitats característicos da região”, tendo a ”dupla vantagem de desenvolver consciência e respeito ambiental e cultural, para além de promover o ecoturismo no município”.

Mais no Jornal Torrejano

Não vou comentar o factor económico até porque não sei o suficiente sobre o assunto para opinar… Até podiam estar em saldos que eu percebia o mesmo.

Fica a foto de uma das “meninas”.

Na semana passada lá encontrei frente-a-frente com uma borboleta que apesar de lhe faltar um pouco da asa, era de facto diferente e muito bonita.

Ao que parece, Abrantes quer deixar de ser a cidade florida para ser a cidade das borboletas ou então ambas! São de sem sombra de dúvida muito agradáveis, estas novas companheiras, nas minhas tardes de leitura.

P.S. Continuando com os meus pensamentos políticos… gostava de saber quem são os responsaveis por apanhar flyers, panfletos, restos de outdoors e toda aquela porcaria que é deixada largada ao abandono depois das campanhas eleitorais. É triste de se ver, junto ao lixo que já há nas encostas do castelo de Abrantes, agora vão-se juntanto alguns papeis e papelinhos…

Banca *ipt

Mas porque carga d’agua é que a minha faculdade encerrou o protocolo com a CGD, ou seja, o banco do povo e aderiu a um protocolo com o Espírito Santo? Primeiro, espírito santo e banca são expressões que ligam tão bem como água e vinagre, depois ainda estou a ver se me esqueço de alguns episódios tristes.

Tipo a seca para o encerramento de conta, ou aparecer lá com uma t-shirt a dizer “show me the Money”- depois percebi porque é que o tipo do balcão olhava para mim com cara de gozo (ou era isso ou o ar alucinado de quem acabou de acordar).

Se por ventura e muito azar, tenho de me matricular de novo e abrir conta nos “verdes”, não respondo por mim, juro que não respondo!

Eu até já tenho cartões da caixa suficientes para fazer um baralho de cartas! Agora ia “arrecolher” um verde? VERDE?! ‘Tá mal!

Espero que, já que têm ligação directa a sagrada família, que sejam mais rápidos do que a concorrência no envio dos cartões.

Meninos da caixa, o cartãozinho da faculdade da menina no ultimo ano  (2008/2009), nem chegou a casa… Já gastei os créditos todos e não tenho direito a mais cartões ou é mesmo política ecologista? Em vez disso recebo publicidade que chega para fazer mascaras de pasta de papel por 4 gerações – e não me parece que os meus trisnetos cheguem a precisar de mascaras de papel reciclado para o Carnaval.

Que se lixe o cartão, pela falta que me fez!

 

Ps. Note-se que não tenho nada contra quem trabalha na banca. Para ser honesta até tenho pena de não ser filha do dono de um banco, acho que preenchia a perfil, mas a vida teve outros planos para mim.IPT

“É pá”, sou como aqueles velhos que resistem á mudança, principalmente quando não percebi o porquê da mudança. No que interessava a coisa até parecia estar a funcionar, apesar de um atraso ou outro… de resto, se tudo no IPT se atrasa, porque raio não haveria de se atrasar o banco uma vez por outra?

Será que mudaram por causa das cores? IPT, verde…hmmm… suspeito…

Okay, eu calo-me!

Amor em minúsculas

“Amor em minúsculas” é um conceito que não me era de todo desconhecido e que reforcei com a leitura do livro (que a propósito, não achei genial, é o problema de por a fasquia alta).

O “amor em minúsculas” é uma espécie de Karma, mas com resultados a pronto pagamento. De qualquer modo nenhum de nós se interessa em pagar pelos pecados ou maravilhas “Karmicas” dos nossos antepassados, digo eu!

Pois é, confunde-se com a teoria da borboleta ou com a filosofia do segredo (sobre o qual só li 4 paginas e suspeito que não preciso de ler muito mais para perceber o funcionamento da coisa).

A base consiste nos pequenos gestos do dia-a-dia, que podem levar a grandes e muitas vezes irreversíveis mudanças. Por isso, se um dia entrar um gatito na vossa casa, não corram com ele nem o atirem pela janela (como conheço algumas pessoas que o fizeram)… quem sabe não será ele a vossa próxima mascote da sorte?!

 

PS. Outro assunto totalmente diferente: Ana Free, vai estar no Cine-teatro S.Pedro no dia 16 de Outubro, pelas 21h00 (informação retirada do boletim de actividades da  C.M. Abrantes ).