A soma das partes. Os anos.

Ficava na pele com um gosto doce amargo de quem conta uma história que não é a sua. Velha, cansada.

Os últimos anos não foram fáceis, nem para ela, nem para mim. A pele escureceu, a vida queimou-nos e de um momento para o outro não somos o que éramos quando tínhamos 14 anos.

Depois de muitos anos, de uma vida inteira, resolvi seguir caminho sem a minha primeira tatuagem. A nossa relação não era a mesma e o desgaste era óbvio. Não seria uma questão de retoque mas sim de mudança. O fim estava perto e eu sabia-o.

Tal como da primeira vez, já tinha pensado e repensado… mas o dia certo, a hora mais adequada, permitiram acabar com este sofrimento e a minha tatuagem desapareceu para dar lugar a um estado de alma estampado.

Está enorme, maior do que pensei que seria capaz de fazer. Está negra como o carvão, mas balança e voa, ama e vive. Quase que com vida própria se assume na minha pele.

Aos 32 anos, fiz a minha segunda tatuagem. Anos antes alguém disse: “Quem faz a primeira, faz a segunda…”

E sim, doí, arde, nos dias seguintes doí mais ainda do que aqueles 50 minutos na cadeira do tatuador… Doí quase que como aviso, porque a dor sente-se na pele e na carteira.

Dentro de um par de meses visto-me de “senhora” e não sou a mesma pessoa de há 18 anos atrás.

Eu mostro-a. Depois.

See you Lesley (AGA) – RIP

Há uns anos apareceu-nos uma gata tartaruga perto de casa… enquanto passeávamos, veio ela do nada ter connosco… o Ricardo diz que foi um sinal, que ela é que nos adoptou… a verdade é que até hoje continua connosco.  No entanto como já tínhamos 3 gatos, resistimos e resistimos… e começamos a pensar em formas de pagar a esterilização… um dia ela desapareceu… apareceu semanas depois com uma barriga enorme… resumindo, estimamos que tenha parido entre 6 a 7 gatos, só encontramos  vivos 4. Nessa altura pedimos ajuda a uma pequena associação, muito generosa que marcou logo as condições plesleyara tratarmos a mãe e os filhos, e por isso cá em casa não há mais surpresas. Conseguimos dar seguimento a alguns para adopção, mas a família aumentou. Outro dia apareceu outra gata, chamamos de Arisca por ser de feitio dificil e ficar apenas na varanda da casa dos meus pais… mal não fazia, foi ficando… mas falamos com a tal associação, e tratamos de a esterilizar antes de termos mais surpresas… Sempre foram assim. Generosos pelos gatos, por quem cuida deles e não tem como cuidar mais, sempre um anjo. Hoje o anjo principal por todas essas ajudas partiu e deixa um sentimento de vazio e tristeza, como no dia em que nos levaram o MNE.

No Facebook da Carvoeiro Cat Charity lê-se:

” We are all very sorry to hear that Lesley Normington passed away yesterday. She was a true ambassador for cats across the Algarve and beyond. She gifted the legacy of the Mr No Ears Retirement Sanctuary at Carvoeiro Cat Charity and Rescue Centre which we will be for ever grateful for.

As Lesley used to say “Its all about the cats”

Que descanse em Paz e que seja recebida como sempre tratou os outros, com simpatia, caridade e um longo grupo de bigodudos de caudas bamboleantes.

 

Felicidade, está olhando para a felicidade!

Repost de um post que encontrei no facebook e que afirma que esta é uma proteína de miostantina/miosina (myosin) a transportar uma molécula de endorfina (hormona da felicidade) para o cérebro. Aí, alguém postou em inglês: “Felicidade, você está a olhar para a felicidade.”

Difícil deixar de olhar para elas, não é?

Original aqui

Compêndio de Vídeos sobre práticas básicas de suporte veterinário/enfermagem

 TODOS OS VÍDEOS AQUI APRESENTADOS FORAM REALIZADOS POR PROFISSIONAIS E NÃO DEVEM SER REPLICADOS SEM A PRESENÇA E ACOMPANHAMENTO DE UM MÉDICO OU ENFERMEIRO VETERINÁRIO EXPERIENTE. QUE É O MESMO QUE DIZER, NÃO FAÇAM ISTO EM CASA PORQUE PODE MATAR OS ANIMAIS!

O blog Gata Preta declara-se alheio a todas as consequências de qualquer tentativa de utilização destas técnicas fora ou dentro do ambiente clínico.

***

Colocação de catéter e garrote – A colocação de cateter por intra venosa (IV) é uma prática comum em toda a medicina,  no entanto exige alguma experiência e muito cuidado para não colapsar veias.

Extracção de Sangue pela Jugular – Pode parecer uma técnica “agressiva”, mas em muitos casos é mais rápida, eficaz e o animal não sofre. O humano durante este tipo de procedimento tem consciência do que se passa e fica naturalmente imóvel para que lhe seja extraído o sangue necessário, já os animais não costumam facilitar tanto o procedimento… ainda assim o sujeito deste vídeo é muito calmo e simpático, e as profissionais mostram também bastante segurança e calma.

Destartarização de Cães/Gatos – O grande problema do tártaro nos cães e nos gatos é o facto de para além de deteriorar os dentes do animal, posteriormente iniciar o seu ataque à gengiva (gum). Isto fragiliza o dente, cria inflamações na gengiva e é um sofrimento que poderá levar a perda de dentes ou remoção cirurgica. A destartarização dos dentes de um animal é um processo breve, não invasivo, acompanhado de uma ligeira sedação e que não exige cuidados no pós.

 

 

Três espaços a não perder…

Esta semana resolvi destacar três espaços “criativos” em áreas distintas: Ambientes virtuais, Design e ilustração e Escrita/Notícia.

Virtual Illusion por Nelson Zagalo – http://virtual-illusion.blogspot.com/

Ilustração, design e criatividade por José Carlos Torre – http://www.josecarlostorre.com/

Online Mag Obvious –  http://obviousmag.org/

Mentes Criativas: Constrói o teu jogo num dia!

Aprende construindo um jogo apenas em UM DIA!

Já tiveste uma ideia brilhante para um jogo?

Gostavas de saber programar para iPhone, iPad e plataformas móveis em geral?

És curioso(a) e não te assustas com códigos e convívios “geek”?

Gostas de saber como funcionam “as coisas”?

Então esta iniciativa é para ti!!!

Aprende a programar em sem dificuldade e começa a criar os teus próprios jogos e animações criativas!

Fernando Colaço, designer & programador, responsável pelo projecto, defende que Actionscript 3 “é a linguagem ideal para aprender a programar, especialmente graças à facilidade de utilizar e manipular imagens e elementos gráficos e adicionar interactividade.

A abordagem (do workshop) será da forma mais acessível, mesmo sem computadores na primeira hora, com os participantes no palco para ”representar” de uma forma prática como um programa funciona, e conceitos como variáveis, objectos, funções, ciclos e condições. A partir daí, “mãos na massa”, o ritmo vai aumentado e o conteúdo será cada vez mais interessante.”

Sabe mais sobre este evento em Workshop para Mentes Criativas .

Expreriência prévia de programação não é necessária

O que achaste desta iniciativa? Comenta e divulga junto dos teus amigos!

Eu vou! E tu? Vais ficar à espera do que se faz nas “stores” ou vais jogar o teu próprio jogo?

Usabilidade e sites “amigos” do utilizador

Os visitantes de um determinado site devem conseguir fazer uma visita minimamente agradável. Isso poderá decidir uma segunda visita, uma terceira, mais do que isso, ou então o total desinteresse pelo espaço.

É chato, mas é assim.

Uma breve consulta num qualquer motor de busca vai elucidar o caro leitor sobre o mínimo de requisitos para ter um site “User Friendly”.

O carregamento rápido, a acessibilidade, a navegação e o conteúdo, são alguns dos pontos principais que poderão decidir o sucesso ou fracasso do seu site.

Para aqueles que como eu pensavam que a usabilidade e a navegação eram quase a mesma coisa, desenganem-se meus amigos!

A usabilidade é aquela “coisa” que faz um tipo entrar no site e de chapa perceber o que se passa lá dentro, para onde vai isto, para que serve aquilo, e o faz sair de lá todo feliz porque conseguiu o que queria. Uma má usabilidade acontece por exemplo quando procuramos algo dentro do site que deveria estar logo à vista ou disposto de um modo intuitivo e fácil. O utilizador é preguiçoso e obriga-lo a pensar é sinónimo de dizer: “Ora amigo, adeus e um queijo!”. E acreditem que a cruz no canto superior direito do browser é dos ícones mais intuitivos que conheço.

Já a navegação, diz o Pinceladas que “o usuário (aka utilizador) deve estar a todo momento a não mais de 2 clicks de seu destino. Isso não é fácil de fazer, mas facilita e muito as visitas”.

Uma correcta hierarquia das ligações, um espaço de contactos, um mapa do site sempre acessível, podem fazer a diferença.

(To be continued…)

http://www.dailyblogtips.com/user-friendly-website/

http://www.pinceladasdaweb.com.br/blog/2008/01/03/caracteristicas-de-um-site-user-friendly/

http://hospedagemdesites.com.br/2010/algumas-caracteristicas-de-um-site-bem-construido/

http://www.kobal.com.br/index.php/10-caracteristicas-de-sites-que-vendem-melhor/

“Introduction To Audiovisual Arts” – ou, só não estuda quem não quer

A liberdade de conhecimento já chegou a este ponto. Agora só não estuda quem não quer. Fica aqui a link, e bos sorte futuros coleguinhas. Passem por lá. O projecto soa-me a algo muito interessante, para não falar que a apresentação é um doce para os olhinhos.

Introduction To Audiovisual Arts