O SOBRALINHO GANHOU!?

“Somaram os pontos de todas as edições anteriores?” – Questiona Ricardo Carvalho…

Eu acho que é a primeira vez que sigo uma final da eurovisão… não sei se ei-de rir ou chorar mas passei a semanas a ouvir isto ainda antes de saber que ia à eurovisão.

Como é possível! GANHAMOS A EUROVISÃO, a seguir a ter ganho o europeu!

MANOS SOBRAL! OBRIGADA!!!

Gata 199X-2017

Bem do ladinho do céu tem um lugar chamado Ponte do Arco Íris.
Quando morre um animal que foi especial para alguém daqui, esse animal vai para Ponte do Arco Íris.
Lá existem riachos e colinas para que todos os nossos amigos possam correr e brincar juntos .
Tem muita comida, água e sol, e nossos amigos estão quentinhos e confortáveis. .

Todos os animais que estavam velhos e doentes voltaram a ter vigor e saúde; aqueles que estavam machucados ou aleijados estão inteiros e fortes novamente, exatamente como nas nossas lembranças dos tempos que já se foram.
Os animais estão felizes e contentes, exceto por uma coisinha: cada um deles sente falta de alguém muito especial , que teve que ficar para trás.

Todos correm e brincam juntos, mas chega o dia quando um subitamente para e olha para longe. Seus olhos brilhantes estão atentos; seu corpo treme de ansiedade. De repente ele começa a correr para longe do grupo, voando sobre o gramado verde, suas pernas indo mais e mais rápido.
Você foi avistado, e quando você e o seu amigo finalmente se encontrarem, vocês se abraçam numa reunião feliz, para nunca serem separados novamente. Os beijos alegres chovem sobre o seu rosto; suas mãos afagam de novo a cabeça amada, e você pode olhar mais uma vez nos olhos confiantes do seu amigo, ausentes há tanto tempo da sua vida mas nunca longe do seu coração.
Aí vocês cruzam juntos a Ponte do Arco Íris…

Autor desconhecido

Jogo da Baleia (Rosa)

Olá e boa tarde meus amigos.

Quando me deparei sobre os detalhes sobre o jogo de 50 tarefas de automotilação que termina com o suicídio, já a primeira vítima da Baleia Azul tinha surgido em Albufeira. Sim, aqui mesmo, ao lado de casa.

Felizmente, uma agencia de marketing deciciu num laiovo de inspiração e brilhantismo, criar o jogo da #baleia-do-bem a Baleia Rosa.

Gira, não sou? Clica sobre mim e descobre as tarefas que podes fazer para aderir ao jogo da Baleia Rosa. Começa já! Sê feliz!

A baleia rosa é a soldado que luta no sentido inverso do trabalho feito pela Baleia Azul.  Está cheia de ideias e tarefas positivas que ajudam a trabalhar a auto-estima e o bem estar de quem joga e dos envolvidos no jogo.

No facebook ou na aplicação móvel podemos seguir as várias tarefas e ir postando ou guardando para nós.

Por isso eis a minha primeira tarefa – Escrever no braço de outra pessoa o quanto gosto dela.

 

ps. Sobre a outra, façam um favor, não adicionem pessoas que não conhecem, não respondam no watts a numeros compridos e estranhos, não adiram a grupos esquesitos no face… vamos parar com esta brincadeira de mau gosto.

Visitem antes a Baleia Rosa

Be happy!

As quatro superstições

Something old,
something new,
something borrowed,
something blue,
and a sixpence in her shoe.

Diz o poema que ela deve levar algo antigo, para simbolizar o passado e algo novo, para o futuro. Algo emprestado, de preferência de quem tenha tido um casamento feliz e algo Azul (Uns dizem que é por ser uma cor de amor, felicidade, e pureza e outros falam em santos católicos) e a que eu não conhecia, uma moeda de prata no sapato esquerdo (sim porque andar de saltos e vestido não é suficiente… então as desgraçadas ainda devem levar uma moeda de prata no sapato).

O poder da felicidade no local de trabalho – A parabola da formiga (resumo)

Vamos adoptar outra perspectiva, pode ser?

Neste artigo “Parábola do despedimento da formiga desmotivada“, fala-se da história de uma formiga que viu o seu ambiente de trabalho a mudar, a pressão a aumentar e deixou de ser feliz no seu trabalho.  O texto supostamente de autor anónimo, refere um conjunto de acções que visaram “aumentar” a produtividade da formiga, mas que acabaram por sufocar o trabalho da mesma.

Existem sítios onde o patrão delega o seu trabalho nos profissionais mais competentes, porque sabe que para a sua sanidade mental e vida pessoal, esse é um ponto crucial! Ninguém pode, nem consegue, nem deve controlar tudo a toda a hora.

O que vejo quando olho em redor actualmente, é assustador! Empresas inteiras que não sabem o que fazer ao nível dos recursos humanos, queimam trabalhadores, frustram expectativas e qualidade de trabalho, não mostram muitas vezes a intenção de facilitar a vida pessoal de cada um, e perdem dezenas, centenas de funcionários com um excelente qualidade. E sabem que mais, as formigas saem do local e irão encontrar algo melhor, um sítio para serem felizes e para se sentirem realizadas. Cada vez mais formigas procuram fazer algo que amam…

ps. Obrigada à empresa que me deixa exercer a minha actividade de voluntariado (das coisas mais satisfatórias e gratificantes que fiz até hoje) – Ser Auxiliar de Veterinária – e que me ajudam a abrir horizontes e a pensar que poderá haver  um futuro risonho à espera. Obrigada.

O Elefante na sala

Um certo dia chegas a casa e tens lá alguém.

Conversas com essa “pessoa” e ela diz que só vai ficar uns momentos.

Os teus amigos dizem para ter paciência e calma. Tu pensas que realmente eles devem ter razão.

A “pessoa” vai embora. Assunto resolvido.

Semanas depois a situação repete-se. Sempre por breves momentos. Aprendes a aceitar. Afinal a vida é assim, as vezes mais vale relaxar e levar.

Com o passar do tempo essa “pessoa” começa a ficar mais tempo. Há dias em que quer conversar e apesar das conversas serem um pouco repetitivas, por vezes fica até amanhecer a falar do mesmo assunto.  E tu pensas… como é que eu vou sair amanhã para a escola, trabalho, estágio… mas não fazes nada porque correr com essa “pessoa” era maluquice. Vamos ser normais e ter calma. Já nem falas disso aos teus amigos. Não os queres saturar e compensas em casa nas folgas. Tentas por o sono em dia.

Passam meses…

O trabalho é cansativo, pensas em mudar de trabalho. Mais cedo ou mais tarde consegues, mas pouca-sorte, não foi tão bom como esperavas. Pelo contrário, foi ainda mais desgastante. Chegas a casa e lá está “ela”. Fala e fala e fala e tu tens de resolver o bolo de problemas mas não sabes como. Tens uma casa para cuidar, tens uma família que precisa da tua atenção, mas esta “amiga” está sempre contigo.

Agora acorda contigo, vai contigo para o trabalho e sem grande decoro fala alto, toca bateria e chama toda uma equipa de amigos para a ajudar. Podia ser divertido se fosse dia de festa, mas não é. Queres trabalhar e o barulho é imenso. Não consegues manter o fóco e quando chegas a casa estás com a energia abaixo de zero…

Existe uma amiga chamada depressão e Portugal é o segundo país no mundo com maior taxa de depressivos, só ultrapassado pelos estados unidos. Isto deve-se muitas vezes à falta de acesso a cuidados básicos da doença, assim como a um tratamento sério que encare a depressão como uma doença do cérebro.

Sabia que na maioria das pessoas o primeiro sintoma que surge é físico? Sabia que quase sempre o suicídio está contextualizado em episódios de depressão? Sabia que a DEPRESSÂO TÊM CURA?

É possível ser feliz e é possível voltar a ter energia, a trabalhar com um sorriso, a ter paciência, alegria, a viver bem! Se sente que um familiar ou amigo pode não estar bem, se você próprio se sente “diferente” e não percebe porquê, procure ajuda. A depressão não é um bicho, mas precisa de ser tratado (e existem várias formas de tratamento).  Não tenha medo de procurar o seu médico de família, de falar com um psiquiatra, com um psicologo, de iniciar um plano de exercício físico, de fazer meditação.. o que resultar é válido! Seja feliz! Fique atento!

Vamos combater o Elefante (ou o cão) na sala?

O Dr. Olegário tem aqui um par de palavras que é muito feliz e que explica a depressão. 🙂

Bicharada de A-Z (Parte 5) Flebótomos & Giardia

— F —

Flebótomo (“Espécie de mosquito” vector de várias doenças, inclusive algumas zoonoses) 

A Leishmaniose canina é uma zoonose de grande importância e de impacto na saúde pública. Todos os anos registam-se em Portugal entre 10 a 15 casos de Leishmaniose em Humanos, especialmente nas pessoas imunocomprometidas e crianças. A doença atinge todas as raças de cães, em todas as idades, e com uma elevada taxa de morbilidade e mortalidade. [1]

Os flebótomos são insectos vectores de vários agentes patogénicos, dos quais se destacam os protozoários do Género Leishmania. Em Portugal, as leishmanioses, canina e humana, são causadas por L. infantum, sendo o cão o principal reservatório e Phlebotomus perniciosus e P. ariasi os vectores comprovados do parasita. São conhecidos três focos de doença, mas casos de leishmaniose canina têm sido reportados em outras regiões nas quais se desconhecem as espécies flebotomínicas presentes e respectivas taxas de infecção.[2]

Origem: Bayer

Origem: Bayer

Mais informações AQUI, AQUI, AQUI e AQUI.

Referências: [1] Zoonoses transmitidas por insectos vectores

[2] Estudo dos flebótomos (Diptera, Phlebotominae), vectores de Leishmania sp, por Sofia Isabel Martins Branco.

— G —

Giardia /Giardiase / Giardiose

Giárdia (Giardia lamblia) causa diarreia e dificuldades na absorção intestinal, por aderir e diminuir as microvilosidades do intestino, dificultando a absorção de nutrientes; e por possuir proteases que agem em glicoproteína, levando lesões à mucosa, desencadeando também uma resposta inflamatória.

A giardiose é uma doença que pode surgir no humano ou nos mamiferos e que é contraída através do consumo de alimentos ou água contaminados. A melhor atitude a ter para com este tipo de parasitas é a prevenção e desparasitação tanto de humanos como de animais de estimação. Cuide da sua alimentação de forma cuidada e higiénica, o mesmo para os seus animais. Caso desconfie de alguma contaminação do seu animal, fale com o seu veterinário, e caso exista a possibilidade de também ter sido contaminado, fale com o seu médico.

Mais informação sobre a Giadiose AQUIAQUI e AQUI. 😉

O que é a Parvovirose?

Sabe quando tem o seu cachorrinho pequeno e só quer dar uma volta com ele pelo bairro e pelo jardim e mostrar aos amigos como o seu “novo” quatro patas vai bem pela trela? Sabe o “chato” do veterinário que passa a vida a dizer para não sair com o cão para sítios onde possam andar outros cães? Sabe quando o seu veterinário insiste em que mantenha o protocolo vacinal do seu cão a tempo e horas? Não é só para ganhar dinheiro e não é só para ser chato.

Infelizmente existem várias doenças e vírus que podem facilmente atingir os pequenos cães, se estes não forem cuidados devidamente. Um cachorro após o desmame, na altura em que deve levar as primeiras vacinas, começa a perder a força imunitária que a mãe lhe transmitiu. Assim sendo as vacinas servem para que o organismo deste pequeno ser, tenha mais estímulo e se saiba defender. Se deixar o seu cãozinho andar na rua, o mais provável é que este cheire, lamba, pise os dejectos de outro animal e apanhe alguma doença… e nem todos os finais desta história são felizes.

O parvovirus é um dos maus da fita desta história. Aparece subitamente, causa vómitos e diarreia, debilitando o animal em poucos dias e pode ainda mais depressa levar à morte.

Diz o Site Arca de Noé que ” os vómitos e a diarreia, podem ser bastante severos, embora os cães também possam exibir anorexia, letargia e febre. Geralmente os vómitos são o primeiro sinal e a diarreia pode não estar presente no quadro clínico inicial. A parvovirose pode afectar cães de todas as idades, embora seja mais comum em cães com menos de um ano de idade. Os cachorros com menos de cinco meses são os mais severamente afectados e os mais difíceis de tratar.”

Não há tratamento para matar o vírus após a infecção. A acção do vírus no organismo do animal não é causar directamente a morte. Em vez disso, ele provoca uma destruição do epitélio intestinal resultando numa desidratação severa, desequilíbrios electrolíticos e infecção da corrente sanguínea por bactérias intestinais. Assim, o tratamento de um cachorro com parvovirose passa por um tratamento de suporte, em que se tenta corrigir a desidratação e desequilíbrios electrolíticos, mediante a administração de fluidos intravenosos. A este tratamento de suporte adicionam-se os antibióticos, para tentar evitar a septicémia (infecção do sangue), e os anti-eméticos para controlar os vómitos.”

In Arca de Noé

A doença não é contagiosa para humanos, mas é altamente contagiosa entre cães com o sistema imunitário frágil, por isso, poupe o seu cachorrinho e enquanto o veterinário não der o “OK”, transporte-o ao colo quando o quiser levar a apanhar ar ou deixe-o em casa, se não tiver quintal próprio.

Para quem já passou pelo infeliz episódio de ter um cão com parvovirose, sabe que o ideal é utilizar lixívia ou um detergente que elimine virus, para higienizar taças, espaços, sapatos, camas …tudo o que entrou em contacto com o animal, visto que o virus é altamente resistente e  contagioso.

Espero com isto ter ajudado de alguma forma… Já sabe, vacine e coloque o chip no seu cão. Ele só é seu depois de chipado, até lá, pode ser vítima do amigo do alheio e ficar sem o seu amigo de quatro patas.

Pense nisso. Saúde e identificação. Os patudos agradecem.

 

 

Bicharada de A-Z (Parte 4 – Erliquiose)

 — E —

Erliquiose é ums doença parasitária que afecta maioritariamente os canídeos. O prozoário microscópico, a Ehrlichia, transmitido pela carraça do cão, afecta os glóbulos brancos. Esta doença pode também ser transmitida aos humanos, através da picada da carraça. Daí ser grande a necessidade de controlar estes parasitas em animais domésticos.

A mais comum é a Erliquiose monocítica canina – causada pela Ehrlichia canis .

 

Literatura online: