Publicado em Música, Opinião, OUTROS

Dia 51/367 True colors, Trolls

A música tem alguns anos, o conceito de “Trolls” como criaturas felizes e coloridas de cabelo espetado data da minha infância… 90’s portanto. Não esperava uma surpresa tão agradável, mas a verdade é que os classicos encaixaram muito bem naquill que pode ser para alguns um exagero de cor… Coisas de filmes de animação. Mas como me recuso e ficar “antiga” … Vi na mesma.

É mais um trabalhos simpático da DreamWorks.

Vejam! 😉

“Happiness is inside You!”

Anúncios
Publicado em Música, OUTROS

49/365 Iris, City of Angels

Faz hoje 20 anos que o single foi lançado e roubou o coração de milhares de românticos por esse mundo.

Parte da banda sonora de “Cidade dos Anjos”, com Nicolas Cage e Mega Ryan… A história de um Anjo que desiste de tudo e “cai” no vazio, numa metáfora sobre o amor, perda, crescimento e aceitação.

20 anos… Calma relógio, calma!

Letra de Iris, Go Go Dolls

And I’d give up forever to touch you
Cause I know that you feel me somehow
You’re the closest to heaven that I’ll ever be
And I don’t want to go home right now
And all I can taste is this moment
And all I can breathe is your life
‘Cause sooner or later, it’s over
I just don’t want to miss you tonight
And I don’t want the world to see me
‘Cause I don’t think that they’d understand
When everything’s made to be broken
I just want you to know who I am

And you can’t fight the tears that ain’t coming
Or the moment of truth in your lies
When everything feels like the movies
Yeah, you bleed just to know you’re alive
And I don’t want the world to see me
‘Cause I don’t think that they’d understand
When everything’s made to be broken
I just want you to know who I am

Publicado em As Causas, Música, Opinião

Dia 46/365 The Theory of Everything [ Em franca e humilde homenagem a Stephen Hawking]

Stephen Hawking, 8 de janeiro de 1942, Oxford, Reino Unido, 14 de março de 2018, Cambridge, Reino Unido

Recomendo “A Teoria de Tudo“, um dos meus filmes favoritos, uma das bandas sonoras mais marcantes de sempre e a digestão de uma história que não está ao alcance da compreensão de todos nós, mas que alguém resolveu processar, de forma simpática, e mostrar em filme.

Caso se sintam insultados, podem tentar ler alguma das suas teorias. Good luck.

 

Stephen Hawking has dazzled readers worldwide with a string of bestsellers exploring the mysteries of the universe. Now, for the first time, perhaps the most brilliant cosmologist of our age turns his gaze inward for a revealing look at his own life and intellectual evolution.

My Brief History recounts Stephen Hawking’s improbable journey, from his postwar London boyhood to his years of international acclaim and celebrity. Lavishly illustrated with rarely seen photographs, this concise, witty, and candid account introduces readers to a Hawking rarely glimpsed in previous books: the inquisitive schoolboy whose classmates nicknamed him Einstein; the jokester who once placed a bet with a colleague over the existence of a particular black hole; and the young husband and father struggling to gain a foothold in the world of physics and cosmology.

Writing with characteristic humility and humor, Hawking opens up about the challenges that confronted him following his diagnosis of ALS at age twenty-one. Tracing his development as a thinker, he explains how the prospect of an early death urged him onward through numerous intellectual breakthroughs, and talks about the genesis of his masterpiece A Brief History of Time—one of the iconic books of the twentieth century.”

ISBN-13: 978-0345535283
ISBN-10: 0345535286
Publicado em Música, Opinião

Dia 45/365 – Too lost in you, Love Actually

Todas as histórias de amor deviam ter uma banda sonora tocada a piano ou com o embalo de cordas. É como ter um bom vinho a acompanhar um jantar especial.

Love Actually” ou “O amor acontece”, de 2003 é a reunião de várias histórias felizes e menos felizes sobre amor. Não me recordo de uma só música neste disco que não seja absolutamente espétacular e com a qual não pense em fazer algo de profundamente emotivo e especial. É inspiração pura!

Hoje que é “oficialmente” o dia dele, e podem “dar-lhe com o clichet”…

Comprem uma caixa de morangos, uma garrafa de espumante docinho e preparem um banho de espuma para a vossa cara metade… o resto deixem a banda sonora fazer 😉

 

Para os solteiros que ainda acreditam em finais felizes, deixo esta ❤  Be Happy!

E olha que vem aí a Aurélia e o Jamie e pronto! Puff! Fez-se o final feliz! 😉

(Uma das minhas favoritas, de SEMPRE… )