Pessoa e Sobral… que os homens também sentem.

Presságio

O AMOR, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p’ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente…
Cala: parece esquecer…

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
P’ra saber que a estão a amar!

 Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar…

  • Diz a rede que é de 1928, de Fernando Pessoa…

 

 

O SOBRALINHO GANHOU!?

“Somaram os pontos de todas as edições anteriores?” – Questiona Ricardo Carvalho…

Eu acho que é a primeira vez que sigo uma final da eurovisão… não sei se ei-de rir ou chorar mas passei a semanas a ouvir isto ainda antes de saber que ia à eurovisão.

Como é possível! GANHAMOS A EUROVISÃO, a seguir a ter ganho o europeu!

MANOS SOBRAL! OBRIGADA!!!

The Fools Who Dream

Esta é um brinde a nós que ainda sonhamos, “The fools who dream”…A letra podem ver no vídeo ou ali abaixo escrita em bloco. (By the way, pequeno detalhe, esta pérola de música foi indicada para Óscar de melhor música original…)

Letra em tradução literal para Português:

A minha Tia costumava viver em Paris, eu lembro, ela costumava chegar a casa e contar-nos histórias sobre a vida lá fora. E eu recordo que ela contou-nos que saltou uma vez para um rio, descalça.

Ela sorriu

Saltou, sem olhar / E caiu no Sena/ A água era gelada/ Ela passou um mês a espirrar/ Mas diz que faria tudo de novo

Esta é para os que sonham/ Por mais tolos que pareçam/ Esta é para os corações que ardem/ Esta é para o estrago que fazemos

Ela apanhou um sentimento/ Céu sem tecto/ Pôr do sol dentro de uma moldura

Ela vivia na bebida/ E morreu num sopro / Eu vou sempre lembrar a chama

Esta é para os que sonham/ Por mais tolos que pareçam/ Esta é para os corações que ardem/ Esta é para o estrago que fazemos

Ela disse-me / “Um pouco de loucura é chave / Para dar-nos novas cores a ver/ Quem sabe onde nos levará? / E é por isso que eles precisam de nós”

Então tragam rebeldes / ondulação dos seixos / Os Pintores, e poetas e peças

E esta é para os tolos que sonham/ Por mais tolos que pareçam/ Esta é para os corações que se quebram/ Esta é para o estrago que fazemos

Eu volto atrás até lá / Ela, e a neve, e o Sena / Sorrindo por isso / Ela disse que o faria de novo.

Lyrics English (Original):

My aunt used to live in Paris
I remember, she used to come home and tell us these stories about being abroad
And I remember she told us that she jumped into the river once, barefoot

She smiled

Leapt, without looking / And tumbled into the Seine / The water was freezing / She spent a month sneezing / But said she would do it again

Here’s to the ones who dream / Foolish as they may seem /Here’s to the hearts that ache / Here’s to the mess we make

She captured a feeling/ Sky with no ceiling / The sunset inside a frame

She lived in her liquor / And died with a flicker / I’ll always remember the flame

Here’s to the ones who dream/ Foolish as they may seem /Here’s to the hearts that ache /Here’s to the mess we make

She told me
“A bit of madness is key / To give us new colors to see /Who knows where it will lead us? /And that’s why they need us”

So bring on the rebels / The ripples from pebbles / The painters, and poets, and plays

And here’s to the fools who dream /Crazy as they may seem /Here’s to the hearts that break 7Here’s to the mess we make

I trace it all back to then / Her, and the snow, and the Seine /Smiling through it /She said she’d do it again

Escrita por Justin Hurwitz, Benj Pasek, Justin Noble Paul • Copyright © Warner/Chappell Music, Inc

Gostava de estar aí… gostava de vos ver aqui

Esta semana senti-me assim…

Gostava de estar aí
A ver o que se passa aqui, no palco
P’ra não fazer juízo errado
Pois isto de cantar,

É muito mais difícil
Cá deste lado
Às vezes vocês daí
Nem sonham o que vai pra’qui, no palco
Nem pensam que na vossa frente
Quem canta, quem vos diz as coisas
Também é gente

[Refrão]:
Gente que trabalha,
Como um Carpinteiro
Como um Camponês
Ou como um Mineiro
Gente que faz o trabalho
Como faz amor,
Amor verdadeiro
Gente que vos diz,
Que a canção sou eu,
A canção és tu,
Por isso cresceu
A canção é p’ra vocês,
E só p’ra vocês,
A canção nasceu

Às vezes ficar aí
É fácil, é melhor que estar aqui
É fácil estar aí sentado
Por isto ou por aquilo
Julgar quem canta
Cá deste lado
Gostava de vos ver aqui
Aqui ao pé de mim e não aí
E assim seria bem diferente

Fazia da canção um palco
p’ra toda a gente

[refrão] x2

Interpretada originalmente  por Paulo Carvalho

Anos mais tarde pela TTT