Do que gostaste mais…

“what did you like the most”

Gatos, pretos, de longos bigodes, pensei eu instintivamente.

No outro dia via pela enezima vez o filme “Cidade dos Anjos” mas perdi-me logo no início, quando a menina fala com Seth e diz que a coisa que gostou mais no mundo foram “os pijamas, com pés”.

Fora as respostas óbvias de amar a minha família mais que tudo, a minha filha, o meu companheiro, o chato do meu irmão ou as particularidades da minha mãe… sem contar com eles, pensei… se existir realmente um grupo de anjos… que resposta vou dar no meu último dia…

 

Gostei muito de pessoas, algumas pessoas, aquelas que me surpreenderam com coisas inesperadas e com corações onde cabe sempre um pouco mais. Gosto de pessoas. Daquelas que têm histórias e que mesmo na contrariedade conseguem sorrir. Gosto. Principalmente de quem vive e não se queixa muito, porque lutas todos nós travamos… mas não é a minha primeira opção.

A minha primeira opção é óbvia para quem me conhece… o que mais gostei e mais me fascinou até agora, foram os gatos. Nasci numa casa de cães, muitos, para dizer a verdade dezenas de cães, pequenos, grandes, de rabo curto ou comprido… adoro cães. Tive alguns grandes companheiros que me ajudaram a ser quem sou hoje… a ser mais feliz e a amar os animais.  Mas ainda em miúda descobri os gatos, a sua ligeireza, a sua capacidade de nos ganhar o coração e o olhar, que é das coisas que mais me espanta num gato… podemos olhar para eles durante horas e são fascinantes em todos os aspectos.

gato-2

Gatos e cães IGUAIS!? 

Os gatos e os cães são tão diferentes como iguais. Fisicamente, num olhar menos cuidadoso podemos confundi-los, mas  a força dos cães e a capacidade de trepar dos gatos são características que começam logo por criar aquele entroncamento que os divide em espécies diferentes. Os cães são dedicados, leais, companheiros na sua generalidade. Costumo dizer que se querem ter uma vida activa, arranjem um cão, se querem um companheiro de sofá, arranjem um gato. Obviamente esta é uma frase muito generalista para ambas as espécies e até um tanto injusta… mas isso são outros quinhentos.

Deve ter sido provavelmente por causa do Luna, o gato da Sailor Moon, um dos desenhos animados que via em miúda, que fiquei tão curiosa em relação a gatos. Principalmente a gatos pretos, brancos e cinza… mais tarde descobri os siameses, as tartaruga, os tigrados europeu comum e mais uma série de belezas maravilhosas. Bolas, não existem gatos feios… eles são todos fascinantes!

sailor-moon

Em todo o meu tempo de vida, se tiver de escolher algo (sempre a seguir à minha família), o que eu gostei mais foi de gatos. Gatos pretos, gatos brancos, pequenos, grandes, são místicos, mágicos e excelentes companheiros. Merecem o nosso respeito e merecem dignidade. Existem relatos de gatos que vivem quase 30 anos, sendo que aos 8 anos de vida um gato é considerado sénior, um sexagenário, imaginem quantos anos vive um gato com 20 anos! São verdadeiramente especiais.

a dívida do Sonho

a-divida-do-sonho

A construção do sonho é infundada, crua, por isso chamar-lhe sonho. Os outros chamam-lhe romantismo.

A procura do sonho, da autodeterminação, da vontade de vencer, sem estrangeirismos e sem marketing de bolso. Hoje não existe uma pessoa que não seja nutricionista para criticar os gordos e os magros, não existe uma pessoa que não seja pediatra para criticar as mães ou apontar o dedo a quem não quer ter filhos e estranhamente não existe quem não defenda os sonhos… e aqui estou eu a defender os sonhos, do alto do meu sofá.

Os sonhos são coisas antigas como cicatrizes de infância, e não me recordo de em algum ponto da minha vida ter desistido de ser quem sou, porque a par de todas as capacidades e formações, de tudo o que sou capaz de fazer (estranhamente e sem modéstia, de tudo um pouco), o sonho acabou por ser o único escondido pelo nevoeiro. Poético mas, tens de ir à escola, escolher um curso a em que te encaixem (não interessa se se adequa ao teu coração, à tua pessoa, à tua alma, ele tem de se adequar à tua média). Poucos eram os que realmente gostavam de informática quando ingressei o curso profissional de Informática Fundamental, no entanto quando escolhi lutar pelo acesso ao ensino superior, estava apaixonada pelo lado romântico do jornalismo. Queria falar de pessoas para pessoas. Queria como sempre quis, ajudar. Sem arrependimentos, devia ter ido na altura para bombeira ou enfermeira. Supria esta necessidade de forma muito mais prática.

Ser mãe, escrever (ilustrar um livro), plantar uma árvore (ou uma dezena), tudo isso são marcos, são pontos de felicidade. Ser mãe é parte da essência, é um luxo nos dias que correm. Fazer filhos é fácil, ser mãe e ser pai é cansativo, leva-nos o tempo e a energia, mas deixa-nos a pensar no que queremos fazer por este mundo. Todo o Pai e toda a Mãe se sente ridiculamente pequeno. Deixamos de ser filhos, agora somos Pais, e temos de fazer o mundo girar de forma a que o legado seja útil, rico, proteja os sonhos, o trabalho e os objectivos daquele pequeno ser, que o pior de tudo é não te pertencer. Ser Pai/Mãe é o maior acto de abnegação

Ainda não fez um ano desde que a decisão de mudar de área e guardar o canudo numa gaveta foi tomada. Claro que não tomei essa decisão sozinha. Claro que qualquer caminho agora é feito a uma velocidade mais contida, ainda assim, como diz o ditado:” Sozinho vais mais depressa, acompanhado vais mais longe”.

O renascimento do sonho é a promessa de que no dia em que a minha filha me pedir para acreditar que ela é capaz, nós vamos ser moralmente capazes de responder sem fantasmas, sem desculpas e sem mentiras.

A dívida do sonho.

Cães e Gatos de Canis ou Abrigos

Retrato da minha mitzy
Os animais residentes permanentes ou provisórios em canil, gatil, abrigo ou sistema misto, vivem uma situação complicada. Para estes animais a vida é uma eterna espera em que não são satisfeitas as suas necessidades comportamentais, de liberdade e vontade própria, como acontece com os animais de rua, nem auferem dos cuidados alimentares, de saúde, segurança e de afecto como acontece com os animais domesticados que vivem integrados em casas ou ambiente familiar.
A problemática dos canis-gatis é muito mais complexa do que parece, principalmente para quem não conhece a realidade na primeira pessoa. As adoções não ocorrem à mesma velocidade a que são abandonados os animais, e em Portugal ainda existe a mentalidade de que “vamos ver se dá certo”, se não der, voltamos a devolver.
Para alguns os abrigos são um sítio onde podem descansar durante dias, semanas, meses e até anos, até surgir uma família que os deseje acolher. Para outros os canil e gatis de abate são uma realidade em que o relógio, o stress da convivência confinada, da falta de cuidados médicos, da falta de estímulo, podem ditar um final menos feliz.
Aparência, problemas comportamentais (uma vez mais, culpa nossa que os enclausuramos em pequenas boxes semanas a fio), problemas de saúde, são barreiras a novas adopções. O adoptante de um animal de canil deve estar preparado para um momento de adaptação em que o animal vai passar de uma realidade muito agressiva e desgastante, para um ambiente familiar. O que surge após esta realidade é quase sempre um sentimento de gratidão que é relatado por inúmeros donos de cães e gatos resgatados (entre eles os nossos gatos pretos, tartaruga e siamesa).

Em alguns canis – gatis, principalmente municipais, pratica-se a eutanásia. Os animais deixados no canil têm um período em que se espera que surjam os donos à sua procura, e findo essa data e caso exista a necessidade de espaço para acolher novos animais, estes são colocados a dormir e levados posteriormente para cremação.

É por isso de extrema importância que os animais estejam identificados com chip, para que ao entrar no canil seja feita a procura do número de identificação do animal e se possível o contacto imediato com o dono, a fim de evitar um final menos feliz.

Os abrigos em Portugal são poucos e vivem dos donativos públicos de ração, dinheiro para medicação e tratamentos, produtos de higiene, camas, mantas, taças e tudo o que pode ser necessário e ajudar a que se trate as dezenas se não centenas de animais. São sítios muitas vezes geridos por voluntários que tentam dar o seu melhor para manter um bom ambiente e qualidade de vida para os animais, no entanto é inevitável que num sitio sobre-populado aconteçam episódios de lutas, lesões e em alguns casos os animais mais fracos tenham dificuldade em alimentar-se perante os limitados recursos. É de facto um ambiente stressante para os animais, apesar dos melhores esforços da parte dos cuidadores.

Os gatos e cães em abrigo ou canil e gatil, têm os mais variados tamanhos, cores, formas e muitas vezes raças.

Seja qual for a razão, os canis não deviam ser uma solução de longo termo. Pense bem antes de adoptar  ou comprar um animal. Considere se tem espaço (abrigo e condições para se mover e ser um cão ou gato feliz) para que este possa ser feliz, condições de o alimentar, ir ao veterinário para consultas regulares (Saúde), dar atenção e afecto e esterilizar (muito importante, se todos os donos esterilizassem animais, em 15 anos deixaríamos de ter animais errantes – Atenção, as pílulas não são solução. Provocam situações de tumores e cancros que levam a uma morte lenta e dolorosa em idade prematura).

Outros temas o podem interessar: Assinar a #Pat-ição contra os testes em animais.

Fontes académicas e inspiração para o artigo: 
Hayley Walters, 
Enfermeira Animal e especialista em cuidados dos animais.
Veja em Coursera - Animal Welfare mais informação sobre este tema e sobre cuidados de animais.
Animal Welfare - The Jeanne Marchig International centre for animal welfare - The Royal School of veterinary studies. 

 

Gata preta Pinta Fraldas

Agora estamos também por aqui, a fazer riscos e rabiscos para os mais pequenos. Passamos dos maiorzinhos (das fitas de finalista dos cursos universitários), para as fraldas dos mais pequenos. Sejam nossos amigos no facebook, e encomendem a vossa fraldinha para oferecer àquela amiga ou amigo que vão ter agora bebé 🙂

Visitem-nos AQUI!

11223815_10204106940169008_3513933313004615243_n

Encontramo-nos lá!

Facebook cover – Dimensões

Algumas sugestões tipo de imagens para utilizar no espaço de “Cover” do facebook, para personalização da imagem do seu perfil.

Aos interessados em criar imagens próprias (o ideal), as dimensões da imagem são de 851 por 315.

Aqui poderão encontrar outras sugestões bem mais originais para decorar o vosso perfil de facebook.

Bom trabalho

E mais

Passagem de ano: Animais em segurança

OS PERIGOS DOS FOGOS

Fugas – os animais perdem-se, podem ser atropelados, provocar acidentes, etc.;

Mortes – enforcando-se na própria coleira quando não conseguem rompê-la para fugir, atirando-se de janelas; atravessando portas de vidro, batendo com a cabeça nas paredes, grades, etc.;

Graves ferimentos – quando são atingidos por foguetes, ou sem saberem abocanhando uma cana achando que é um brinquedo;

Traumas – com mudanças de temperamento, nomeadamente para pânico e/ou agressividade;

Ataques – investidas contra outros animais e contra humanos, mesmo que estes sejam seus conhecidos;

Mutilações – no desespero para fugir podem mutilar-se ao tentar atravessar grades e portões;

Convulsões (ataques epileptiformes);

Afogamento em piscinas, tanques e poços;

Quedas de andares ou de alturas superiores
;

Aprisionamentos indesejados em locais de difícil acesso
;

Paragens cardiorespiratórias


RECOMENDAÇÕES
:

. Acomodar os animais dentro de casa, onde se possam sentir em segurança, com iluminação suave e se possível um rádio ligado com música;

. Fechar portas e janelas para evitar fugas e suicídios;

. Dar alimentos leves, pois os distúrbios digestivos provocados pelo pânico podem matar (torção de estômago, por exemplo, especialmente em animais de porte grande);

. Cobertores pesados estendidos nas janelas ajudam a abafar o som, bem como cobertores no chão ou um edredão sobre o animal;

. Não deixar muitos cães juntos, pois, excitados pelo barulho, podem lutar até a morte. Tente deixá-los em quartos/divisões separados/as, para evitar que na altura dos fogos se mordam uns aos outros  por   desespero;

. Algumas horas antes da meia-noite leve o/os animal/animais para perto da televisão ou de um rádio e aumente aos poucos o volume, de forma a que se distraia e se vá habituando ao som alto. Assim não ficará tão assustado com o barulho intenso e inesperado dos fogos;

. Alguns veterinários aconselham o uso de tampões de algodão nos ouvidos; podem ser colocados alguns minutos antes e tirados logo após os fogos;

 Por favor não tome a iniciativa de sedar um animal. Nunca deve recorrer a calmantes e/ou sedativos sem que estes estejam devidamente prescritos pelo médico-veterinário assistente.

Todos os animais se assustam facilmente nas épocas festivas com o barulho dos foguetes. O pânico desorienta-os, e fá-los correr desorientados e sem destino.

Tente evitar as situações acima descritas garantindo aos animais condições mínimas de segurança, evitando ambientes conturbados e barulhentos (desde antes da meia-noite – umas 3 horas antes seria o ideal), passe-lhes paz e tranquilidade, dando-lhes a sensação de que tudo está bem e sob controlo.

Com prudência, atenção e um pouco de boa vontade podem evitar-se fatalidades.

Mensagem da ANIMAL

Gato preto

Porque ontem foi sexta e porque hoje chega um menino cá a casa. Adoptado e retirado de uma vida que não merecia. Apesar da FAT ser um amor, o nosso lar é sempre o nosso lar.

Olha Eu!

É só para referir que esta Vera que está por aqui a falar de Marketing Viral, e por aqui a falar de Mobbing, e esta aqui que ganhou um segundo lugar na categoria de Escrita no concurso organizado pela Associação In-loco, “são todas Eu”.

Quero mais que a falsa modéstia vá dar uma curva. Hoje estou a mostrar-vos o que tenho feito bem e/ou mais ou menos bem. Visitem os sítios, honestamente espero que gostem e que se divirtam. Dentro em breve postarei o texto do concurso. Só ainda não o fiz porque até a entrega de prémios os direitos estão reservados a entidade que promoveu o concurso e estou proibida de o divulgar.

Seja como for, agora já percebem a minha súbita ausência e falta de alimentação deste espaço, até porque criei um perfil novo no Tumblr com vista a divulgação de trabalho a nível profissional e tenho dedicado algum tempo a transformar aquele espaço num chamariz de ofertas de trabalho.

RIP Pantera

Perguntei-me muitas vezes o que seria feito dos donos de todos aqueles animais abandonados á beira da estrada. Os irresponsáveis. O que seria feito? Qual a história para o fim triste daquele quatro patas. Abandonado, perdido, esfomeado, votado a sua sorte? Os irresponsáveis dos donos. Nunca os vi como pessoas que podiam amar os bichanos ou os cães. Nunca pensei nessa perspectiva. Afinal de contas quem era o irresponsável?! Falhei e não venho procurar conforto. Hoje confirmou-se. Uma parte da minha história, uma das responsáveis por muitos sorrisos, companhia, lições de personalidade, amor, deixou-nos. A menina que deu nome a dois blogues, acompanhou momentos felizes e descalabros sem par, teve um fim injusto. Pensei em acabar com o blog. Pensei em esconder todas as cartas, pins, malas, carteiras, símbolos na capa, fotografias… como se isso valesse alguma coisa. A Pantera foi uma lição muito maior que muita gente. Não sei o que dizer mais. Tudo soa a lugar comum e a ridículo porque só quem está aqui e viu é que pode imaginar.

Como dizia o Gajo, “era e vai ser sempre a tua referência… foi amada, é o que importa!”

A Pantera tinha 2 anos e 5 meses e foi uma das melhores coisas que me aconteceu nos últimos anos. Foi amada e marcou. Este espaço vai ser sempre a prova disso.

vi