O que é a Parvovirose?

Sabe quando tem o seu cachorrinho pequeno e só quer dar uma volta com ele pelo bairro e pelo jardim e mostrar aos amigos como o seu “novo” quatro patas vai bem pela trela? Sabe o “chato” do veterinário que passa a vida a dizer para não sair com o cão para sítios onde possam andar outros cães? Sabe quando o seu veterinário insiste em que mantenha o protocolo vacinal do seu cão a tempo e horas? Não é só para ganhar dinheiro e não é só para ser chato.

Infelizmente existem várias doenças e vírus que podem facilmente atingir os pequenos cães, se estes não forem cuidados devidamente. Um cachorro após o desmame, na altura em que deve levar as primeiras vacinas, começa a perder a força imunitária que a mãe lhe transmitiu. Assim sendo as vacinas servem para que o organismo deste pequeno ser, tenha mais estímulo e se saiba defender. Se deixar o seu cãozinho andar na rua, o mais provável é que este cheire, lamba, pise os dejectos de outro animal e apanhe alguma doença… e nem todos os finais desta história são felizes.

O parvovirus é um dos maus da fita desta história. Aparece subitamente, causa vómitos e diarreia, debilitando o animal em poucos dias e pode ainda mais depressa levar à morte.

Diz o Site Arca de Noé que ” os vómitos e a diarreia, podem ser bastante severos, embora os cães também possam exibir anorexia, letargia e febre. Geralmente os vómitos são o primeiro sinal e a diarreia pode não estar presente no quadro clínico inicial. A parvovirose pode afectar cães de todas as idades, embora seja mais comum em cães com menos de um ano de idade. Os cachorros com menos de cinco meses são os mais severamente afectados e os mais difíceis de tratar.”

Não há tratamento para matar o vírus após a infecção. A acção do vírus no organismo do animal não é causar directamente a morte. Em vez disso, ele provoca uma destruição do epitélio intestinal resultando numa desidratação severa, desequilíbrios electrolíticos e infecção da corrente sanguínea por bactérias intestinais. Assim, o tratamento de um cachorro com parvovirose passa por um tratamento de suporte, em que se tenta corrigir a desidratação e desequilíbrios electrolíticos, mediante a administração de fluidos intravenosos. A este tratamento de suporte adicionam-se os antibióticos, para tentar evitar a septicémia (infecção do sangue), e os anti-eméticos para controlar os vómitos.”

In Arca de Noé

A doença não é contagiosa para humanos, mas é altamente contagiosa entre cães com o sistema imunitário frágil, por isso, poupe o seu cachorrinho e enquanto o veterinário não der o “OK”, transporte-o ao colo quando o quiser levar a apanhar ar ou deixe-o em casa, se não tiver quintal próprio.

Para quem já passou pelo infeliz episódio de ter um cão com parvovirose, sabe que o ideal é utilizar lixívia ou um detergente que elimine virus, para higienizar taças, espaços, sapatos, camas …tudo o que entrou em contacto com o animal, visto que o virus é altamente resistente e  contagioso.

Espero com isto ter ajudado de alguma forma… Já sabe, vacine e coloque o chip no seu cão. Ele só é seu depois de chipado, até lá, pode ser vítima do amigo do alheio e ficar sem o seu amigo de quatro patas.

Pense nisso. Saúde e identificação. Os patudos agradecem.

 

 

Anúncios