Publicado em OUTROS

Traquina

Esta manhã levantou-se sozinha e foi à rua… antes de lá chegar descuidou-se e fez um chichi mesmo no meio da sala. Não sei se porque sim ou pelo peso da idade. Eu torci-me no sofá, mais uma noite mal passada com receio que o sopro ou as artroses a façam ir sem aviso e sozinha. Ninguém deveria morrer sozinho. Ninguém pessoa ou animal. É de uma crueldade atroz a partida na solidão.

Dorme agora aos meus pés numa cama improvisada. Hoje foi um grande dia. Foi ver a Dra Margarida, que é uma menina ainda jovem mas claramente atenta e apaixonada pela profissão de veterinária. A Traquina já a conhece e apesar de retraída pelo ambiente do consultório, adora a conversa mole e os miminhos (até porque a chata dos medicamentos sou eu).

Traquina foi diagnosticada há algumas semanas com uma artrose em estado avançado e um sopro no coração. Vale o suporte dos amigos da PRAVI e uma veterinária cinco estrelas. Come quando consegue, e quando entre mimos o iogurte desce … Já viram um cão comer à colher? Ela gosta.

Gosta disso, de camas quentes, de assaltar goluseimas, sofas, corridas no campo, passarinhos e espreitar os gatos… Traquina tem sido ao longo dos últimos 14 anos um cão fantástico, provavelmente o melhor cão do mundo. Traquina é agora uma idosa, com a mobilidade condicionada, que luta por alguma qualidade de vida.

Agora dorme, ali mesmo ao lado. Foi um dia grande e as viagens de carro sempre a deixaram cansada.

Até já.

 

Anúncios

Autor:

Eu sou a Vera e tive uma grande amiga que entretanto foi para o céu dos gatos... A ela seguiu-se a Siamesa... agora tenho um casal de pretos e uma tricolor louca que devora decorações de natal e fitas. Como sou criativa, a minha pegada digital começou em finais dos anos 90, ainda o upload de material era um terror e o "Terravista" um Sucesso. Gosto de novas tecnologias em particular de redes sociais. Sou caótica, desconheço o conceito de timming. Não como caracóis, carne e/ou favas. Não faço despedidas.