Os desapaixonados

Às vezes tenho pena dos desapaixonados.

Muito provavelmente é deles a culpa de boa parte dos nossos males. Os desapaixonados endurecem e secam a cada dia que passa, e em relação a isso só posso sentir pena e desejar muito sinceramente que apaguem o “Des” da palavra.

Tenho pena daquelas pessoas que publicam posts idiotas no facebook a pregar contra uma suposta figura masculina ou feminina inexistente, só porque algum dia as coisas correram mal. Tenho pena dos que fogem do casamento. Tenho pena dos que se separam à primeira contrariedade e tenho ainda mais pena dos que tentaram tudo e não conseguiram (a esses, os meus pêsames).

Cada dia é menos um, e até à data essa é a minha maior angustia. Fico horas a olhar aqueles com quem partilho o meu espaço… O meu companheiro de horas felizes e de momentos menos auspiciosos… Os meus animais de estimação… a família e os amigos… e bolas, é tão bom parar e poder sentir que todos os dias nos apaixonamos por aqueles que nos rodeiam! Palavras pirosas, mimos diários, troca de olhares, conversas de horas ou simples mensagens… amo o meu companheiro, amo os meus amigos, amo a minha simples vidinha que não é perfeita, mas que me apaixona… mesmo quando estou aborrecida.

Já estive aí, “on your shoes”… viver desapaixonado é fácil. Fazemos cara neutra ou cara feia na maioria do tempo, criam-se paixões platónicas pelas quais não se luta, cria-se uma rotina tão rica como um aquário redondo, e daí é mais fácil… duro é ter tudo e correr o risco de perder…

Apaixonem-se meus amigos… a primavera chega mais dia menos dia… uma musica alegre no carro a caminho de casa, um sorriso nem que seja para estimular os músculos do rosto e alegria “meu irmão”…

Anúncios

2 thoughts on “Os desapaixonados

  1. Aconcelho-te a Paixão do livro de Francesco Alberoni ou outro livro dele sobre o Amor – A despaixão é um sintoma de travão de um enorme problema (o da paixão). Prefiro estar desapaixonado que apaixonado mas ter amor. Abraços!

    Gostar

    1. Nuno, a paixão ser um problema é apenas uma questão de perspectiva. Só na literatura é que os apaixonados são irracionais e morrem, matal ou cegam por amor… na vida real as coisas funcionam de outra maneira… Mas terei em conta as sugestões.
      Cumps

      Gostar

Os comentários estão fechados.