Solidão

“As vezes, a solidão torna-se pesada. Conversava hoje com um amigo que me deu a entender que nunca havia estado tempo suficiente sozinho para o sentir. A solidão. Arrumar as ideias, desconstruir, construir de novo, perceber o que realmente faz sentido e o que não faz. Não me faz feliz. Não preenche o espaço. A solidão não implica o deserto sentimental. Até podemos ter alguém. Alguém que nos faz rir. Companhia para um café ou partilhar aquela música. A solidão é uma filha da puta porque nos ilude! Dá-nos a sensação de que está nas nossas mãos o controle e afinal o resultado é… a solidão.

A solidão do puro deserto. A solidão do desinteresse. A solidão do falso interesse em staccato. A solidão do falso entusiasmo e das subidas e descidas a pique. É uma merda, é o que vos digo. A solidão acha que o amor deve ser confortável quando precisamos de entusiasmo e nervosismo e momentos de trapalhice com um medo pavoroso de que ele perceba que afinal não nos é indiferente. A solidão deixa-nos anestesiados sem perceber que o pior que pode acontecer é ele perceber e não querer perceber. E daí? Do chão não se passa! Apenas ficaria na solidão.

A filha da mãe da solidão acha mais confortável dar a abébia aqueles chinelos de enfiar no pé, totalmente sem tesão do que aos sapatos de verniz que nos tiram do sério… A solidão é do caraças, mas já estou servida de chinelos, de falsas subidas e descidas, de faltas de entusiasmo, sonhos, motivações, planos, falsos respeitos, falsas preocupações, falsas ofertas de ajuda… a solidão por estes lados ainda não tem o poder de transformar um grande amor em confortáveis pantufas de inverno, porque não é isso que contraria a solidão.

A solidão faz-nos querer escrever um post sobre amor e acabar por escrever um sobre solidão. Nunca antes estivemos tão perto e tão ligados como estamos nos dias de hoje e nunca antes as pessoas sentiram tão dura e friamente a solidão. Não sabemos estar sozinhos. Não sabemos olhar. Não sabemos deixar de procurar porque estamos cheios, cegos, ocupados, acompanhados e comprometidos a full-time com a solidão.

Um dia demito-me desta solidão.”

Anúncios

3 thoughts on “Solidão

  1. Babe, não há nada melhor que a solidão! Ás vezes sinto tanta falta dela… basta pensares que não é solidão (sentimentos triste, banal e mortificante), mas sim Solidão (sentimento meu, relaxante, clarificante), porque sabes que só nunca estarás! 😉

    Gostar

    • Ah jovem, eu falo assim mas conheço a situação em que te encontras e a falta de um pouco de espaço…. de qualquer modo, no papel em que me encontro sei que “SÓ” nunca estarei… infelizmente a distância de vós acentua esta coisa da falsa solidão, até porque isto é sazonal e o verão está quase a acabar. O que realmente “faz falta” (e não faz) ainda não encontrei e pelos vistos aprendi alguma coisa com o tempo. Nem 8 nem 80 mas… tenho uma música pra ti. lol

      Gostar

Os comentários estão fechados.