Uma história – 2

– “E agora? O que queres que te diga? Perdi-me no tempo.” Comentou ele, sem perceber que encetava uma confissão.

-” Como assim, perdeste-te no tempo?”

-” Gelou-se-me a alma num pensamento enquanto caminhavas por esse corredor na minha direcção. Em segundos confrontei-me com o dia em que não te tinha e perdi-me no tempo. Perdi-me na angustia e não sei como evita-lo. Como evitar esse dia? “

Ficaram ambos no silêncio, a olhar as teclas pretas, as teclas brancas, as teclas pretas, as teclas brancas. À procura da eterna questão da fuga ao inevitável. A única certeza de ter será a de um dia perder.

Advertisements