Publicado em Texto

A Raposa de Peluxe

Tenho uma série de rituais para seguir o meu caminho bem disposta. Apaixono-me todos os dias. É só olhar a volta… seja como for, este tipo de pensamento faz-me percorrer 40km de carro a cantar com a música em altos berros e com um sorriso parvo. Aprendi a fazer isto.

Agora sentas-se perto de mim ou sorri mal encontra o meu olhar. Já tive para lhe perguntar se consegue esconder os dentes, mas da última vez que lhe disse para deixar de fazer algo, corou. Corou! Corou e eu calei-me e sussurrei para mim própria: “coitadinho”. Com a mesma ternura de quem apanha aquele peluxe de estimação. Depois fiquei a pensar se serias mais uma rosa igual as outras ou se surgiste do nada como a raposa do princepezinho.

” Eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E serei para ti única no mundo. “

Anúncios

Autor:

Eu sou a Vera e tive uma grande amiga que entretanto foi para o céu dos gatos... A ela seguiu-se a Siamesa... agora tenho um casal de pretos e uma tricolor louca que devora decorações de natal e fitas. Como sou criativa, a minha pegada digital começou em finais dos anos 90, ainda o upload de material era um terror e o "Terravista" um Sucesso. Gosto de novas tecnologias em particular de redes sociais. Sou caótica, desconheço o conceito de timming. Não como caracóis, carne e/ou favas. Não faço despedidas.