Efeito pé na boca

A.T. ou K. para os amigos, costumava dizer nos tempos de faculdade que eu andava sempre com o pé na boca. À laia dos desenhos animados em que quando uma pessoa mete água ou aparece uma gotinha ao lado do bonequinho ou um pé na boca. Pois, eu evolui da gotinha para o pé na boca. A dimensão das situações constrangedoras em que me meto é já tão ridicula que me conformei em começar a rir cada vez que acontece.

Acontece porque não tenho o todo da informação, porque tenho a boca grande demais, porque a devo muito a coordenação motora ou simplesmente por estupidez natural. Acreditem que se acabar conhecer alguém agora, daqui a nada estou a descobrir uma desgraça qualquer, à conta deste sentido de humor maravilha e profunda diarreia mental.

Querem exemplos concretos?

Z, namorava com Q…. Z desabafa com as amigas o quão angustiada se sentia e insegura e afins… eu naquela de a animar, digo que ela tem de melhorar a disposição e ser mais feliz para que Q continue a gostar dela. Ninguém quer uma namorada em constante depressão. Por outras palavras claro. No meio daquilo, trato de fazer uma piada… olha, vá, se não a M que está solteira, chega-se afrente e rouba-te o homem.

Se perceberam a história….tenho a concluir que depois de dois murros nos ombros e pontapés debaixo da mesa, descobri que Q e M já tinham tido um caso.

Et voilá. Pé na boca.

Anúncios

2 thoughts on “Efeito pé na boca

  1. o efeito pé na boca será para sempre eterno…quase tão eterno como o “não olhes agora, não olhes agora!”… . e continua a ser um dos meus maiores prazeres…kd nao sou eu a saborear o meu xulé. A.T. ou K. para os amigos

    Gostar

    1. Continuo a achar que estamos a perder milhões por não nos darmos ao trabalho de escrever ou fazer meia dúzia de cartoons…assim a modos, como fez o senhor do “Diário de um babana”… mais um efeito… o do queijo…
      Bjo

      Gostar

Os comentários estão fechados.