Homens mauzinhos VS Homens bonzinhos

[POST PARA MENINAS, mas admitem-se as opiniões masculinas.]

Todas dizemos que os homens maus é que são. Até há aquela frase que faz a analogia entre os homens mãuzões e o lobo mau. “Ouve melhor, cheira melhor, come melhor…” Mas sejamos honestas, nem todas olhamos para os mãozões. Quer dizer, temos dias.

Mas a coisa piora quando os mãozões se comportam como gorilas e não conseguem coordenar mais do que duas frases sem emitir grunhidos.

Ser mãuzão: só com charme,  elegância e jogo de cintura. O mãozão tem interesse porque gaja que é gaja, quer o troféu, a prova de que “fui eu quem o conseguiu dobrar”.  Transformar um lobo mau em cordeirinho é do melhor. Problema é quando a coisa não corre como esperávamos.

Os bonzinhos, não são os chôchos… Os bonzinhos são aqueles que até falam, mantêm a mística envolvente do sorriso, do bom-dia e ganham-nos a pouco e pouco. Ouvi-mo-los falar com os amigos e apercebe-mo-nos das gargalhadas soltas,  mas que na maioria das vezes arranjam desculpas para não namorar (ou porque correu mal, ou porque têm medo, ou porque as mulheres “são chatas”)… desculpas…  mas no final de contas, quando estão interessados em alguém fazem das figuras mais ridículas. Isso inclui, topeçar, gaguejar, fazerem-se de difíceis (ou isso ou são mesmo tontos). Desculpem que vos diga, mas tenho um especial tipo de ternura por este tipo de homens. Homens-meninos. Parece que todas as miudas por quem se interessam são a primeira namorada.

Os Bonzinhos: Podem ser mesmo muito, muito, muito desajeitados/atados. As vezes podem causar algum cansaço. Mas quando menos esperamos, temos uma surpresa.

Grunhos: Variante rasca do homem mauzinho. Não são opção.

Anúncios

10 thoughts on “Homens mauzinhos VS Homens bonzinhos

  1. Ó que caraças… lá vamos nós (o que eu gosto disto :)).

    Grunhos: nem pensar – não vivemos na época das cavernas.

    O mauzão: eu faço e aconteço – e quando vamos a ver, é só fogo de vista. Acaba por ser decepcionante. E triste… quando querem passar uma imagem daquilo que não são. Lastimável.No entanto, dizem que é destas que as mulheres gostam… vá de vez em quando, temos lá uma fase de bad boy… ou de bad girl 😉

    O Bonzinho: uma coisa é ser desajeitado, isso vá lá que tem a sua graça, agora atados é que não! Tenho horror a quem não sabe o que quer ou sabendo, não vai e agarra com as duas mãos. Quanto a poderem surpreender-nos, é bom, confesso que seja bom… mas quando se trata de uma mudança radical, daquelas que mostra que está ciente do que quer e preparado para a luta. Caso contrário, lamento, mas não me convence.

    O bonzinho: pela tua descrição, parece-me bater os outros aos pontos! E sim, os melhores são aqueles que nos conquistam… a cada dia… a cada sorriso.

    Gostar

    • Sabes qual é a merda? É saber se é só connosco ou se é naquela do “simpático pra uma, simpático pra todas” e se o barro colar, colou… Escusado será dizer que essa hipótese é quanto chegue para um lápis azul em cima. Zaaaaaaaaz

      Gostar

  2. Essa do barro colar… foda-se (posso dizer foda-se aqui?) É que isso não pá… fogo… Para já “ele” tem de se encantar connosco – seja com a nossa forma de sorrir, de falar… o que for. Mas tem de ser algo especial e tem de haver algo pessoal, relativo a nós próprias que lhe chame a atenção. Se não for assim… porra, que vão para o raio que os parta.Ah! E não esquecer que têm de nos dar o devido valor… e saber o que têm quando o têm!

    Gostar

    • O grande problema da solidão, no meu caso, 80% das vezes até sabe bem. Adoro pc’s, internet e afins, mas detesto por exemplo ficar muito tempo ao telefone, e mensagens e aquela treta toda… gosto de sair quando EU QUERO. Ponto. Voltar, quando eu quero… mas há sempre aquela altura em que já cansa e nos esquecemos que.. em que nos esquecemos dessas palavras que disseste agora.
      Enfim, não sei se estou cansada ou aborrecida.

      Gostar

  3. A solidão, acaba por ser, muitas vezes, estarmos bem connosco próprias – e isso é essencial… não nos deixarmos sufocar… que é o reverso da medalha.
    Quanto a telefone e mensagens – subscrevo completamente – não há nada como falar olhos nos olhos, abraçar e ser abraçado, sentir o toque, o calor. Para mim, o amor, ou seja o que for, alimenta-se disto… e só com mensagens e telemóvel… morre à fome.
    Quanto a esquecer essas palavras, não podemos (ou não devemos)… mas sei que o fazemos. Mas chega uma dada altura em que levas um estaladão e voltas a lembrar-te de novo… infelizmente para voltar a esquecer… na pior das hipóteses.
    Estarás saturada? E desiludida com o espécime masculino? Junta-te ao clube.

    Gostar

    • LOLOL…. Diz-me que essa última frase te lembrou o anúncio dos USA : “Join Us. We Want you.” E o barbas a apontar… lolol

      Gostar

  4. hahahahahaha
    Partiste-me toda com essa! Bem visto. Estava tão embrenhada cá nos meus pensamentos que nem dei por ela – com o fogo todo na ponta dos dedos – mas agora, ao ver o comentário aí em cima, dá mesmo para apreciar o quadro… lol

    Gostar

  5. Ai sim? Pc novo, que maravilha! Instala – se aqui dá para isto, então no msn 😉

    Aproveita e lê um texto do Alvim que roubei e publiquei no blog – tem muito (tudo) a ver com o que falamos.

    Gostar

    • o outro faleceu… problemas de idade…lol mas sim, excelente texto… gosto qd o alvim escreve sobre o assunto… e este … sooooooooooooo true.

      Gostar

Os comentários estão fechados.