PEC – Procuro Emprego, Caraças!

Estou farta, fartinha! Agora que penso nisso, estive a volta de 18, 19 anos enfiada em escolas, no meio disso tudo formei-me nas mais diversas áreas e tive professores a dizer-me para seguir artes, outros para seguir o meu sonho, outros a incentivar-me a escrever e até a ensinar (apesar de discordar de algumas destas opiniões), seja como for, considero-me uma pessoa competente.

Ao final de “N” currículos enviados por correio, dos quais a única resposta será o recibo de recepção (inclusive de órgãos/procedimentos concursais públicos). Empresas que pedem funcionários e mantém o mesmo anúncio on-line semanas e semanas,  nem se dão ao respeito de enviar um mail standard a dizer que receberam o nosso currículo ou que não interessamos para servir cafés…

Ofertas para as quais preenchemos todos os requisitos, aparte daquele micro-curso de 30, 40, 50 horas sobre as “barbas do padre Inácio”! Nada que uma tarde de leitura não me ensine! Ou uma passagem pela biblioteca não me ajude a compreender!

A nível profissional nunca dei chatisses a ninguém, até porque gosto de fazer as coisas com brio. Não sei 40 línguas, nem tenho média de 19, mas estou muito longe de ser estúpida e não preciso de muito trabalho para dar grandes bailinhos na maioria das ferramentas instaladas nestes computadores de SO Win qualquer coisa (Até porque desde a geração NT/98 que pouca coisa mudou, para além do aspecto gráfico).

Não sou oficialmente “Jornalista” (apesar dos anos de estágio), não sou especialista em Markting (apesar das técnicas e planos para divulgação/gestão/criação de marcas), tirei comunicação social, empresarial, que agora na prática me parece ser terra de nínguem!

Os formulários do centro de emprego não sabem o que é isso. Os de candidatura de procedimentos concursais tipo PEPAL  e PEPAC iden aspas, e esperei meses pela oportunidade de ouro dos fabulosos estágios do Trocas-te para descobrir que tenho de tirar direito e mudar-me para Lisboa.

Foram 18 anos a estudar! No dia em que os meus pais se reformarem eu quero estar aqui e não é com 400€ que conseguir ser o suporte seja de quem for.

E falam-me de PEC? Estabilidade para quem? Digam-me, para quem? O que é que me faltam? Sim porque a paciência tem escorrido pela ampulheta nos últimos 4 meses.

Como consegui concluir com uma amiga. Afinal de contas, como é que nós vamos ter experiência se não houver alguém a dar-nos uma primeira oportunidade?

Hmmmpff… três tinteiros depois, algumas idas aos ctt, muitas horas de e-mail, eu continuo e continuarei aqui, pelo menos até alguém me dar uma oportunidade, mas quem não sente, não é filho de boa gente.

Anúncios

6 thoughts on “PEC – Procuro Emprego, Caraças!

  1. Pois…. Como eu te entendo!!! Eles acham que a gente tem experiência através de telepatia!! Mas no fundo o que eu compreendi ao longo dos anos foi que eles apenas querem gajos incompetentes e que não façam muita mossa nos chamados “intocáveis”. Aqueles que levam empresas á falência por ganharem uma fortuna. Ao fim ao cabo a percentagem deles é 0% de contribuição na produtividade e criação de valor!
    O PEC mais não é a dizer ás pessoas que têm que se acomodar com o que têm, e não andarem aí a gastar dinheiro em coisas que nã interessa pra ninguém. E no fundo o povo sente-se traido pk, e principalmente a classe média, gastavam em BMW e carros novos, quando um usado chegaria. Queriam ir todos os dias ás compras aos shoppings e comprar tudo o que lá houvesse com cartões de credito!!! sem se preocuparem com coisas mais importantes! Só que com o PEC, o Sócras esqueceu-se que há gente a pagar casas, e mais coisas essenciais, como a saude, a educação dos filhos e mais importante a alimentação! Pk se os salários são baixos tb são escassos para comprar o que a vida assim o exige!!
    Exigem-te formação??? De vez enquando um bocado de arrogância pra com esses gajos num faz mal nenhum. Ainda agora eu proprio fiz dar a entender que se queriam que me contratassem e com essa formação exigida, no minimo era a empresa que me tinha de pagar para ir á “formação”! Se querem um colaborador para o futuro e com ambições para fazer evoluir o projecto tb tem de investir no gajo que contratam! O mal das empresas é esse: num Querem investir na formação dos colaboradores!!!

    Gostar

    • Tu ultimamente engoliste algum dicionário ou enciclopédia? 😉
      As empresas, pelo menos a maioria, podia viver de recibos e da geração fast-food, que basicamente é como querem que sejamos. Rápido, prático e pronto a “comer”… o problema são as consequências. Enfim. Sem mais a acrescentar que é só falar disto que fico nas lonas. Ninguém merece.

      Gostar

Os comentários estão fechados.