A reconstruir…

Posso ter um ataque de honestidade?

Aqui estou eu a reconstruir quase de raiz a minha vida pessoal e social na cidade onde praticamente nasci mas onde não tenho absolutamente nada (de resto, pouco menos do que deixei para trás).

Mais uma vez ouvi as perguntas do costume e dei as respostas do costume. “Não, estou sozinha… Sim, acabei mas estou desempregada… Tenho esperança, mais cedo ou mais tarde encontro algo, certo?” E apesar de estar bastante bem disposta (mais do que pensaria estar depois de duas semanas em casa dos “pais”), dou por mim a desmotivar quando se fala de vida sentimental.

Ressuscitei algumas amizades, em especial duas meninas. Dois casos de extremos. Uma solteira mas com namorado, casa própria e carreira a correr de vento em poupa – tanto que nem tem tempo para respirar. Outra, separada, com dois filhos, desempregada e cuja vida parece um prato de esparguete de tão enliçada…

E mais uma vez volto á minha teoria. Não tenho paciência. Gostava, nem imaginam o quanto gostava, mas não tenho. Não me apetece investir. Não me apetece aturar imaturidades ou gente “folgada”.

Bem,  não se constrói um edifício a começar pelo telhado, e neste momento as minhas fundações são de palha.

Sabem que mais? Apetece-me começar a trabalhar o quanto antes. Tenho a minha motivação e vontade de vencer totalmente voltada para essa área.

“Juro ganhar o jogo sem espinhas”…

Como costumo dizer, Baby Steps. Quem sabe um novo início, um sucesso não traga novidades e com elas mais sucessos?! Quem sabe? Um dia destes volto a ter energia para algo mais do que eu e trabalho… não sei quando… mas um dia vai ser…

Anúncios

6 thoughts on “A reconstruir…

  1. Pá…ganha juizo na tola! Tens umas fundações do caraças. Podes não ter telhado nem paredes. Mas lá irás. As fundações são fortes e isso basta. O resto..baby steps…sem cromos!

    E nem te atrevas a falar a um gajo do clique mágico…(medo…)

    Gostar

  2. Vá força e não desanimes, por cada porta que se feche várias á frente se vão abrindo… E tu tens que encarar as coisas dessa forma, e como tens de começar um pouco por baixo, vá lá, quando chegares ao teu objectivo vais ver que valeu a pena todo o esforço! Luta e esperança!

    P.S.: Tou de acordo com o gajo: nada de cliques mágicos, que isso é amaricado q.b.!!! (Cagaço…)

    Gostar

    • Ah, eu vou caindo e vou-me levantando, sempre mais rija do que na queda anterior e sabes que mais? Saiam-me da frente que eu posso, quero e vou chegar aos meus objectivos… Até os como… 😛
      Brincadeirinha… Tempo… as vezes todos precisamos de tempo para arrumar as ideias e escolher o melhor caminho (e isto é válido para mim e para ti também… isto de ter as coisas na interner… : P ).

      Gostar

  3. Sei perfeitamente o que estás a passar porque já passei pelo mesmo… a diferença é que o que me levou a voltar para a terrinha de origem foi o trabalho, porque de resto não tinha (e continuo a não ter cá) amigos próximos (todos eles foram saindo e além disso 10 anos fora acabam por afastar as pessoas) ou acima de tudo pessoas interessantes que me possam animar. Mas ânimo!!!! Nem tudo é mau!!! 🙂 e ano novo vida nova! 😉 Beijinhos e a melhor sorte o mundo 😉

    Gostar

    • Deus te oiça. A pouco e pouco vou voltando ao activo, mas ainda custa um bocado… mentalidades diferentes, coisas que as vezes vejo e não me agradam… enfim… é a vida, mas há-de melhorar… Bjo e obrigada pelo apoio**

      Gostar

Os comentários estão fechados.