“Boa Noite meu amor”

Ler um livro da Dorothy Koomsonpeuga (coisa de gaja), para quem os conhece (gajas), é sexy como um tijolo mas ao mesmo tempo tão confortável como umas meias velhas (e ainda bem).

“Boa Noite meu amor” foi o último dos três da Dorothy Koomson que acabei de ler. Andou semanas a passear comigo, até chegar ao tal capítulo interessante, debaixo dos olhares semi-reprovadores de alguns colegas e da curiosidade de algumas amigas. 

O meu apurado sentido de justiça não me deixa ficar feliz porque tendencialmente gosto do belo do “Happy End”, coisa… da qual não vou falar porque é ler para perceber. Pelo menos no meu conceito de finais felizes, não correu pelo melhor.

Boa noite meu amor * Gata PretaTal qual J.K.Rowlling, também Koomson safou-se  melhor na primeira obra (pelo menos na primeira que li “A filha da minha melhor amiga” porque ao que sei ainda me sobram algumas traduções). Não desfaço do livro, continua a ser um livro relaxante, sobre mulheres, dramas de mulheres, pensamentos de mulheres, atitudes de mulheres e alguns homens desgraçados da vida sem saber o que fazer das ditas mulheres (como sempre). É um romance. Notoriamente, livro de gaja. Dorothy amiga, gostei do livro, não gostei do final, mas apressa a porto editora porque o título de 2010 “The Ice Cream Girls” promete. Gaja que é gaja, gosta de gelados!

 

PS. Para quem não sabe, Dorothy Koomson é uma escritora inglesa, que muitos não sabem mas é negra, tal como a Gata Preta. E se não sabiam isso, também não sabiam que é dona de um sorriso brilhante e uma escrita ternurenta  que me fez apaixonar com “A filha da minha melhor amiga”. Fica aqui a link para o espaço da Porto Editora, editora oficial das obras de Koomson em Portugal.

Anúncios