Em discussão: Museu Ibérico de Abrantes

Esquema_Museu

Há coisas que não se compreendem. Esta é uma delas. Éste é o esquema de implantação do Museu Ibérico de Abrantes e a sua relação com o Hospital e o Castelo.

Fica aqui um dos textos/entrevista realizada por Mário Semedo, retirada do espaço Cidadãos por Abrantes.

Phil Hawes, arquitecto americano, discípulo do famoso arquitecto Frank Lloyd Wright, e arquitecto do conhecido projecto Biosfera 2, esteve em Abrantes, aproveitei para o entrevistar:

Mário Semedo: agora que teve contacto com o projecto para o Museu de Ibérico, qual a sua opinião sobre o projecto?

Phil Hawes: Estou completamente estupefacto com a arquitectura proposta para o Museu Ibérico. Caridosamente falando é uma abominação ego-maníaca. Está para além do meu entendimento como é possível que os residentes de uma cidade tão bela como Abrantes possam seriamente considerar uma úlcera como esta na paisagem de sua cidade. O impacto que este edifício vai ter irá negativamente mudar para sempre o aspecto actual da cidade de Abrantes, uma vez que irá abrir o caminho para a sua futura degradação visual.

Para lhe dizer a verdade, nem Speer (o arquitecto de Hitler) consideraria tamanha declaração ditatorial, contudo…talvez Estaline estivesse mais inclinado para  semelhantes declarações arquitectónicas.

MS: Considera por isso que o projecto tal como está não deveria ser construído?

Phil Hawes: espero não ter deixado qualquer dúvida na sua mente; considero este projecto como um completo desastre arquitectónico. Não posso imaginar nenhum estudante do primeiro ano de arquitectura conceber algo tão ofensivo e destrutivo para o tecido da comunidade. Com efeito, tenho sido professor de arquitectura em 4 universidades diferentes na E.U.A. e na Europa, e posso dizer-lhe que eu nunca tive um aluno que me fizesse algo tão fora de escala, tão fora de contexto, e tão longe de qualquer realidade actual.

Anúncios