Publicado em Documentário/Filme

Caeiro

Gosto do ceu porque não creio que elle seja infinito.

Que pode ter comigo o que não começa nem acaba?

Não creio no infinito, não creio na eternidade.

Crio que o espaço começa numa parte e numa parte acaba

E que agora e antes d’isso ha absolutamente nada.

Creio que o tempo tem um principio e tem um fim,

E que antes e depois d’isso não havia tempo.

Porque ha de ser isto falso? Falso é fallar de infinitos

Porque se soubessemos o que são de os podermos entender.

Não: tudo é definido, tudo é limitado, tudo é coisas.

 

[Poema inédito, sem data, transcrito por Jerónimo Pizarro.]

Anúncios

Autor:

Eu sou a Vera e tive uma grande amiga que entretanto foi para o céu dos gatos... A ela seguiu-se a Siamesa... agora tenho um casal de pretos e uma tricolor louca que devora decorações de natal e fitas. Como sou criativa, a minha pegada digital começou em finais dos anos 90, ainda o upload de material era um terror e o "Terravista" um Sucesso. Gosto de novas tecnologias em particular de redes sociais. Sou caótica, desconheço o conceito de timming. Não como caracóis, carne e/ou favas. Não faço despedidas.