“Everything”

Por cada palavra doce e por cada carinho que te guardo, salvo-te de mim, de algo que não sei explicar. Por ti, que não reconheço a presença, o suspirar ou o peso de uma respiração aflita. Guardo num cantinho o espaço para a chave que acredito existir algures. Por tudo o que me faz cantar, por cada linha, cada palavra, por aquele sorriso idiota, pela forma mais simples, pura e ternurenta de estimar alguém. Sem mais nem porquê. Deixa-me apenas ser assim. Cada linha, cada palavra, cada sorriso, cada puto que me olha na rua. Pelo cheiro da praia e pela areia a engolir os meus pés. Deixa-me se assim que eu fico bem.

Acredito em finais felizes porque se deixar de acreditar, deixo de ser eu.

Anúncios