Publicado em Texto

Atitude

Uma menina, de 13 anos, ganhou um prémio e foi cantar o hino dos EUA, num jogo da NBA. Vinte mil pessoas no estádio. Ela afinada e compenetrada. De repente o braço tremeu, engasgou -se, esqueceu-se da letra… e teve uma branca!!!

Treze anos, sozinha, ali no meio e o público ameaça uma vaia (assobios). De repente, Mo Cheeks, técnico dos Portland Trail Blazers, aparece ao seu lado e começa a cantar, incentivando-a, e trazendo o público. Só o técnico tomou a iniciativa de ir até lá para ajudar, enquanto à volta dela começava-se a ensaiar a vaia. Mo Cheeks, mostra o que é liderança e como uma atitude de apoio, na hora certa, pode fazer uma grande diferença, para ajudarmos e mudar a história do JOGO da vida.

Será que isso já não nos aconteceu? E a nossa atitude, foi como a do técnico Mo Cheeks ou como a de todos os outros que estavam à sua volta ? HÁ PESSOAS QUE ESTÃO NO MUNDO PARA AJUDAR… OUTRAS PARA VAIAR. Liderança é isto! PENSA NISSO.

João, obrigada pelo Mail 🙂

Anúncios

Autor:

Eu sou a Vera e tive uma grande amiga que entretanto foi para o céu dos gatos... A ela seguiu-se a Siamesa... agora tenho um casal de pretos e uma tricolor louca que devora decorações de natal e fitas. Como sou criativa, a minha pegada digital começou em finais dos anos 90, ainda o upload de material era um terror e o "Terravista" um Sucesso. Gosto de novas tecnologias em particular de redes sociais. Sou caótica, desconheço o conceito de timming. Não como caracóis, carne e/ou favas. Não faço despedidas.

4 opiniões sobre “Atitude

  1. Apesar de o número de “vaiadores” ser maior, são, contudo, suplantados pelo número menor daqueles que dão a mão quando nos estamos a afogar…

    Há grandes pequenos gestos que fazem toda a diferença.

    ***

    Gostar

    1. Nós não somos por natureza construtivos. Por vezes o esforço que se faz tem de ser desmedido. Mas é tão bom quando corre bem. ^_^
      (Ando numa fase tão Zen que até a mim me estranho.)

      Gostar

  2. É mais fácil destruir que construir.E então quando a esmagadora maioria das pessoas são uma cambada de frustrados ainda pior. Parece que as pessoas têm um particular gosto em ver os outros se darem mal. Se eu não consigo também não aceito que os outros consigam. É o que temos. Mas, muito bem abordada a questão. Parabéns!

    Gostar

    1. Concordo. E afinal de contas na maioria das vezes a felicidade é apenas uma questão de perspectiva!
      Beijão Farroscas e obrigada pelo comentário.
      🙂

      Gostar

Os comentários estão fechados.