Publicado em Música, Texto

Que amor não me engana

    Que amor não me engana
    Com a sua brandura
    Se da antiga chama
    Mal vive a amargura
     

    Duma mancha negra
    Duma pedra fria
    Que amor não se entrega
    Na noite vazia?

    E as vozes embarcam
    Num silêncio aflito
    Quanto mais se apartam
    Mais se ouve o seu grito

    Muito à flor das àguas
    Noite marinheira
    Vem devagarinho
    Para a minha beira

    Em novas coutadas
    Junta de uma hera
    Nascem flores vermelhas
    Pela Primavera

    Assim tu souberas
    Irmã cotovia
    Dizer-me se esperas
    Pelo nascer do dia

Zeca Afonso . Que amor não me engana

Anúncios

Autor:

Eu sou a Vera e tive uma grande amiga que entretanto foi para o céu dos gatos... A ela seguiu-se a Siamesa... agora tenho um casal de pretos e uma tricolor louca que devora decorações de natal e fitas. Como sou criativa, a minha pegada digital começou em finais dos anos 90, ainda o upload de material era um terror e o "Terravista" um Sucesso. Gosto de novas tecnologias em particular de redes sociais. Sou caótica, desconheço o conceito de timming. Não como caracóis, carne e/ou favas. Não faço despedidas.

2 opiniões sobre “Que amor não me engana

  1. Mesmo enganados, nunca deixamos de viver um momento de amor, mesmo que seja só o nosso, aquele que damos ou oferecemos a quem não está ou não sabe amar.

    ***

    Gostar

    1. Na altura faz todo o sentido. 🙂 Não há nada como aquele sorriso ridiculo, nem que seja apenas uma ilusão. Beijoca Juma

      Gostar

Os comentários estão fechados.