Publicado em humor ou quase, Opinião, OUTROS, Texto

Sai um Cão de Água para Obama

Dia 11 e dia 12 de Janeiro, a comunicação social noticiou a possibilidade de um “português” a passear-se pelos corredores da Casa Branca.

Trocando por miúdos, Barak Obama e a sua família, estão na dúvida no que concerne á adopção de um cão. A dúvida não está na hipótese de ter ou não ter o cão. Isso é ponto assente. Os Obama querem um cão.

O problema reside na escolha da raça. O dito canídeo, poderá ser da raça Labrador (agora não percebi se nos Golden ou apenas no Retriever comum ou até mesmo o curioso labradoodle- arraçado de Poodle com Labrador).

A segunda opção da família mais mediática dos Estados Unidos da América, é o ternurento Cão de água Português.

Apesar de gostar muito dos Marleys e dos “scotex”, há que defender o nosso tuga, que não fica em nada atrás do Labrador.

O Cão de Água, como produto adoptado com nome nacional, deve ser defendido. Digo de nome adoptado como nacional, porque existem suspeitas acerca do surgimento desta raça que a remetem para o continente africano.

Inteligente, brincalhão e dedicado, o cão de água é sem sombra de dúvida uma boa escolha. A Casa Branca precisa de um “franjinhas”, leal, alegre e de uma energia incansável!

Vota Cão de água!!!

O melhor amigo do homem, da mulher das crianças e ainda por cima fala português, mesmo que grande parte dos americanos pense que Portugal é uma colónia espanhola.

Vota Cão de Água!!!

cão de água PT

notícias :. o cão de água :. Bicharada.net :. APCAP

Imagem retirada do espaço: www.pedradaanixa.com/historia2.htm
Anúncios

Autor:

Eu sou a Vera e tive uma grande amiga que entretanto foi para o céu dos gatos... A ela seguiu-se a Siamesa... agora tenho um casal de pretos e uma tricolor louca que devora decorações de natal e fitas. Como sou criativa, a minha pegada digital começou em finais dos anos 90, ainda o upload de material era um terror e o "Terravista" um Sucesso. Gosto de novas tecnologias em particular de redes sociais. Sou caótica, desconheço o conceito de timming. Não como caracóis, carne e/ou favas. Não faço despedidas.