Vegetarianismo, alimentação saudável e respeito ético pelos animais

Vanda Botelho, consultora dietética da Campanha Seja Vegetariano, da Associação ANIMAL, apresenta as razões centrais para se ser vegetariano: o respeito ético pelos animais e pelos seus direitos; as preocupações com a nossa saúde e com uma alimentação mais saudável e equilibrada; as preocupações ecológicas e

preocupações humanitárias com a fome no mundo; a injustiça e ineficácia dos actuais sistemas de produção e distribuição de alimentos. Para além do mais, argumenta que a proteína animal é totalmente dispensável no organismo do ser humano.

“O vegetarianismo é uma dieta alimentar com uma qualidade nutricional excepcional capaz de contribuir para o tratamento e prevenção de muitas doenças, entre elas as mais recentemente designadas de ‘doenças da civilização’”. Nomeadamente, a obesidade, a hipercolesterolemia, a doença cardíaca, entre

outras, explica Vanda Botelho. Vera Rito trabalha numa loja no centro de Abrantes e é vegetariana desde criança. Começou a rejeitar naturalmente a carne e o peixe, logo em bebé. Foi uma reacção do próprio organismo. Como resultado, viu-se obrigada a adoptar outro modo de vida e de alimentação. “Foi um processo natural na minha vida” – refere. “Como ovos ou pizza quando saio com os amigos”, mas “hoje em dia já 

há muitas alternativas à carne, tais como a soja, o tofu e o seitan”. Vera aconselha ainda todos os curiosos a consultar receitas e a aprender a cozinhar bem os alimentos, porque a adaptação a esta dieta deverá ser gradual.

Vanda Botelho afirma ainda que “as dietas sem carne não são novas e nem raras”. Pitágoras, Hipócrates, Platão, Leonardo da Vinci, entre outros, são alguns dos nomes que estão incluídos na lista da alimentação sem carne. Os registos da prática de dietas sem carne por parte dos humanos estão datadas desde 600 anos Antes de Cristo.

 

Diferentes tipos de alimentação
 

Frugivevoranismo – Existe a exclusão de carnes, ovos, leite e seus derivados, bem como raízes, alimentando-se essencialmente de frutos frescos, frutos secos, frutos oleoginosos e sementes.

Crudívoranismo- Existe a exclusão de carnes, ovos, leite e seus derivados, bem como qualquer tipo de alimento processado, alimentando-se única e exclusivamente de vegetais crus.

Não são considerados parte do vegetarianismo todos os tipos de alimentação que incluam produtos alimentares de origem animal, pelo que os indivíduos que se auto-intitulam como praticantes dos diferentes tipos de dieta abaixo descritas não fazem realmente, parte do grupo de indivíduos vegetarianos.

Ovo-lacto-vegetarianismo – Existe a exclusão de carnes, não recusando o consumo de ovos, leite e seus derivados.

Ovo-vegetarianismo – Existe a exclusão de carnes, leite e seus derivados, não recusando o consumo de ovos.

Lacto-Vegetarianismo – Existe a exclusão de carnes e ovos, não recusando o consumo de leite e seus derivados.

Fonte: Associação Animal

 

Artigo de Vera Inácio em EstaJornal (ed.nº13 )

Anúncios